Notícias

09/12/2016 - 14:06

Artigo da semana aborda método psicanalítico de pesquisa

Pesquisadoras da PUCRS destacam a importância de aplicação do método no cenário acadêmico a partir da proposta de elaboração de fatos clínicos

O artigo desta semana, publicado na edição 36.3 da Revista Psicologia: Ciência e Profissão, trata do “O Método Psicanalítico de Pesquisa e a Potencialidade dos Fatos Clínicos”. O Conselho Federal de Psicologia (CFP) divulga em seu site e nas redes sociais, todas as semanas, um estudo do periódico, cuja versão eletrônica se encontra na plataforma SciELO.

As autoras do artigo são as pesquisadoras Clarice Moreira da Silva (psicóloga, psicanalista, mestre pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul/PUCRS) e Mônica Medeiros Kother Macedo (psicóloga, psicanalista, doutora e docente da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul/PUCRS).

Segundo o resumo, o artigo tem como objetivo discorrer sobre uma modalidade de pesquisa com o método psicanalítico. Para tanto, apresenta-se um processo de sistematização para sua execução, partindo-se de elementos teóricos, técnicos e éticos que permitem a atenção aos elementos essenciais da Psicanálise. “Explora-se, desta forma, uma possibilidade de efetiva aplicação do método de pesquisa psicanalítico no cenário acadêmico a partir da proposta de elaboração de fatos clínicos”.

As autoras destacam, ainda, que a pertinência de pesquisas com o método psicanalítico é reforçada na afirmação de que, por meio delas, é evidenciada a vitalidade da escuta e da postura investigativa psicanalítica. Nesta direção, o artigo fornece elementos que têm como objetivo estimular fortemente a investigação em Psicanálise, considerando-a uma relevante forma de seguir trabalhando e ampliando o legado freudiano.

A Assessoria de Comunicação do CFP conversou com Clarice Moreira da Silva, que, em entrevista,  falou mais sobre a pesquisa.

Confira a entrevista. 

O que as motivou a fazer a pesquisa sobre esse tema? 

Escrever sobre o tema da pesquisa em Psicanálise teve sua inspiração no exercício da clínica psicanalítica e no reconhecimento de sua potencialidade investigativa. Acreditamos que a clínica segue sendo o campo mais fértil para a geração de questionamentos sobre a prática e a produção de conhecimento em Psicanálise. Assim, escrever sobre o método psicanalítico de pesquisa é dar destaque à condição interrogativa que perpassa o trabalho cotidiano de um psicanalista.

 

Quais os resultados que você destaca desse levantamento? 

Ao apresentar a possibilidade de pesquisa por meio da construção de fatos clínicos gerados a partir da experiência analítica do psicanalista pesquisador, o artigo destaca a validade e a riqueza de explorar elementos gerados na articulação entre o exercício clínico de escuta e a prática da interpretação em Psicanálise. A inferência do analista em relação ao material clínico é assumida como elemento constituinte do processo de construção dos fatos clínicos e as etapas de seu processo de construção já indicam os fundamentos teóricos nos quais esses se sustentam, marcando, assim, a diferença de uma descrição clínica ou de um estudo de caso. Entre os destaques do texto, está a constatação de quão fecunda pode ser a aproximação entre as inquietações geradas na clínica da Psicanálise e a pesquisa desenvolvida na pós-graduação brasileira.

 

Em sua opinião, como o Método Psicanalítico de Pesquisa e a Potencialidade dos Fatos Clínicos podem contribuir para as pesquisas em Psicologia? 

A relevância e a complexidade de investigações com o método psicanalítico estimulam a seguir problematizando os pressupostos epistemológicos e metodológicos que sustentam a Psicanálise como disciplina que busca compreender e intervir diante de um sujeito de inconsciente e de sexualidade. Acreditando na consistência do saber que resulta do somatório da experiência de escuta clínica com a produção de conhecimento fomentada pela prática de pesquisa na Universidade, o artigo buscou contribuir efetivamente para a prática dessa interação.

Assim, o artigo afirma a condição de a Universidade também contemplar práticas de investigação que não se restrinjam a metodologias que acentuam a dicotomia sujeito e objeto de pesquisa, uma vez que dessa radical separação resulta a exclusão da subjetividade humana do campo científico. Foi possível, ao descrever o processo de construção e de pesquisa com os fatos clínicos, evidenciar a possibilidade de alinhar a ética e a especificidade da Psicanálise com o rigor metodológico exigido no espaço acadêmico.

Este artigo sobre a pesquisa com o método psicanalítico contribui, portanto, de forma evidente, com a Psicologia ao não deixar dúvidas sobre a profícua aproximação da Psicanálise com a Universidade, ressaltando a necessidade de trazer à discussão a especificidade do método psicanalítico de pesquisa e a relevância de reafirmar a amplitude do corpo teórico e técnico psicanalítico. Além disso, destaca os benefícios de se lançar luz sobre o risco de que predomine, na Universidade, uma única forma de produção de conhecimento que exclua a necessária e saudável pluralidade metodológica do campo científico.

Clique aqui e leia o artigo na íntegra.

Salvar