Notícias

27/10/2016 - 9:13

Serviço de Psicologia no Samu é o artigo desta semana da Ciência e Profissão

Pesquisa relata a experiência da inserção da (o) psicóloga (o) no atendimento de emergência

O artigo desta semana da edição 36.2 da revista Psicologia: Ciência e Profissão é “Serviço de Psicologia no Samu: Campo de Atuação em Desenvolvimento”. O Conselho Federal de Psicologia (CFP) publica em seu site e nas redes sociais, todas as semanas, um texto do periódico – cuja versão eletrônica se encontra na plataforma SciELO. Assim, a Autarquia intensifica a busca pelo conhecimento científico, a fim de expandir o alcance de conteúdos acadêmicos para a categoria e para a sociedade.

As autoras do artigo são Katie Moraes de Almondes (docente pelo Departamento de Psicologia e Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN), Eleni de Araújo Sales (mestranda em Psicologia pela UFRN) e Maísa de Oliveira Meira (especialista em Gerenciamento dos Serviços de Saúde pela UFRN).

SAMU

A pesquisa relata a experiência da inserção do Serviço de Psicologia no Samu 192 RN (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que tem como proposta intervenções com as vítimas atendidas em resgate por condições clínicas, acidentes ou violência, assim como com seus familiares, a comunidade envolvida e com os profissionais de saúde. O artigo também destaca o crescimento do reconhecimento da Psicologia ao longo das intervenções realizadas, vista como um serviço importante e indispensável no atendimento ao sujeito em sofrimento. O atendimento está amparado pelo princípio da integralidade do Sistema Único de Saúde (SUS), que preconiza o homem como um ser integral e biopsicossocial.

A Assessoria de Comunicação do CFP entrevistou Katie Moraes de Almondes, uma das três autoras da pesquisa.

Confira a entrevista: 

O que as motivou a fazer a pesquisa sobre esse tema? 

O tema apresentado para divulgação científica faz parte de atividades realizadas por psicólogos no Samu-RN que se iniciaram em 2009, ineditamente como campo de atuação de psicólogos, pois não havia registro de profissionais trabalhando nessa área no país. Hoje já temos registro de psicólogos trabalhando em Brasília e Minas Gerais. O intuito com esse artigo, e outros que virão na sequência, é dar visibilidade para este novo campo de inserção e fundamentar as práticas através de uma discussão teórico-técnico-científica. Somado a isso, já temos um projeto de lei que regulamenta essa prática, que foi votado pelos Deputados do RN, que agora espera homologação do governador do estado para abrirmos concurso e cursos de formação.

 

Quais os resultados que você destaca desse levantamento? 

A descrição do trabalho dos psicólogos nas viaturas de resgate dos pacientes.

 

Na sua opinião, quais os benefícios podem ser gerados com a aplicação dos serviços de Psicologia no Samu? 

Inúmeros. O beneficio à equipe que tem a ajuda dos psicólogos nas ocorrências que envolvem situações difíceis para a própria equipe, tais como: morte envolvendo crianças e que mobiliza psicologicamente a equipe; apoio psicológico e orientação para a equipe no resgate de pacientes psiquiátricos; apoio e ajuda à comunidade quando há óbito e a comunidade quer praticar algum ato de vandalismo ou violência contra a equipe, pelo atraso temporal ou por socorrer a vítima quando este é um bandido, por exemplo. Benefícios aos pacientes em resgate para evitar o TEPT com o acolhimento, apoio e orientação psicológicos, e aos familiares que são acolhidos e orientados nos acidentes.

Clique aqui e leia o artigo na íntegra.