Notícias

19/03/2016 - 10:06

Nota do CFP sobre o atual momento da conjuntura política e social brasileira

Leia nota elaborada pelo XVI Plenário nesta sexta, 18 de março

O Conselho Federal de Psicologia vem manifestar-se sobre os últimos acontecimentos nacionais, de modo a deixar claro para a sociedade e a categoria profissional o seu posicionamento em relação às violações e aos desrespeitos às instituições democráticas consolidadas, historicamente, pelo esforço de luta da população brasileira.

Neste momento, vimos a público nos manifestar sobre a importância da defesa do Estado Democrático de Direito, considerando que, sem a participação de todas as pessoas, de modo igualitário e equânime em seus âmbitos de inserção social, não é possível promover dignidade de vida e justiça social. Deixamos claro que o Conselho Federal de Psicologia defende uma sociedade humanizada, fundada em valores éticos que preservam a justiça, a democracia e os direitos essenciais de uma vida digna para todas as pessoas.

Assim, destacamos alguns importantes elementos para análise consciente do que estamos vivendo hoje, deixando claro nosso posicionamento:

1. Somos veementemente contrários a uma justiça seletiva, parcial e partidarizada, que mantém a desigualdade e a exploração dos mais pobres, captura direitos civis básicos, criminaliza e promove julgamentos públicos em casos em que processos jurídicos tenham sequer sido abertos.

2. Repudiamos as tentativas de ruptura com o Estado Democrático de Direito e os movimentos em direção a um Estado Policial, com sérias ameaças e violações a democracia.

3. Condenamos o papel manipulador da mídia que, servindo a interesses econômicos, provoca convulsões sociais e fazem aflorar sentimentos de rivalidade, ódio e descontrole nas manifestações sociais e participação popular.

4. Somos contrários a toda forma de corrupção, própria de um sistema que se funda na exploração daqueles que produzem as riquezas e não podem delas desfrutar. No entanto, a corrupção não será combatida sem um processo judicial ético e transparente, que respeite todas as instituições democráticas e, principalmente, que promova a consciência política do povo brasileiro sem que seja golpeado ou enganado em suas principais demandas.

5. Reivindicamos que todas as propostas de combate à corrupção tenham um caráter republicano e não sensacionalista, e que, de fato, puna todos aqueles que incorreram em ilegalidades, não selecionando quem será punido ou não, a partir de interesses políticos que disputam projetos distintos de sociedade.

6. Por fim, e não menos importante, queremos nos posicionar de modo solidário e defensor do direito de mulheres, negros, indígenas, jovens, população de rua e comunidade LGBT, que sofrem violência, entendendo que uma sociedade construída em bases humanitária, igualitária e justa é uma sociedade que assume, incondicionalmente, a consolidação dos Direitos Humanos em todas as instâncias e contextos sociais.

Reafirmamos nossa confiança nas instâncias republicanas e nossa luta sempre em favor do fortalecimento da democracia.

Comentários

296 comentários
Larissa Ferreira Gonzales - 19/03/2016 10:37

Graças a Deus o CFP falou algo, no meio de tantas instituições golpistas espero q o CFP permaneça abertamente coerente c a ética da profissão.

Lana veras - 19/03/2016 10:46

Parabéns ao CFP pelo posicionamento sensato, com cuidado e zelo, com responsabilidade social e mostrando aos seus profissionais um horizonte ético a seguir.

Silvana Andrade - 19/03/2016 10:55

Sinto-me totalmente representada pela nota divulgada pelo CFP.

José Ailton S. Santos - 19/03/2016 10:58

É papel do CFP tendenciar análises políticas? No meu pouco saber penso que o conselho teria um papel definitivo auxiliando na conciliação dos atritos gerados pelas escolhas, não manifestando apoio a lados.

Gelci Nogueira - 19/03/2016 11:07

Muito coerente e oportuno a manifestação do CFP em defesa da cidadania democrática, numa postura firme e sensata em defesa da dignidade humana. Compartilho sentimentos e pensamentos semelhantes.

Cristiano Costa de Carvalho - 19/03/2016 11:09

Parabéns ao CFP pela lucidez e posicionamento político.

Parabens pelo texto da nota! Me senti representado!

Liuba de Medeiros - 19/03/2016 11:22

Fico extremamente feliz em ler essa nota e saber do posicionamento do Conselho. Sinto-me representada. Liuba de Medeiros – CRP 13/6820

VALERIA CRISTINA DE ALBUQUERQUE BRITO - 19/03/2016 11:25

Orgulglhosa da posição lúcida e crítica sobre a situação.

Defender a democracia é Defender a população carente da opressão do populismo! Enganar a população é perverso, acreditar que a mudança está na mão de uma pessoa de esquerda é perverso, paralisar a população com ameaças de um futuro pior é perverso! Existe uma complexidade de acontecimentos acontecendo que não se resume a democracia ou não, retiradas de direito ou não. Luto contra o poder dos machistas que batem em mulher, luto contra o preconceito de raças e orientação sexual, luto contra os pais que espancam os filhos. Luto contra a opressão do medo e a paralisação da população. Que acha que sua força está em uma pessoa e não neles! Acho esse texto tendencioso e perigoso. Ajuda a oprimir e aceitar que a mudança pode ser perdida por simples quereres de alguns!

Daniela Medeiros Fuschini Favaro - 19/03/2016 11:33

Concordo com a parte da democracia, mas compreendo que os atuais representantes políticos que ocupam o governo do nosso país estavam também de forma sensacionalista, parcial tentando manipular todas as instituições democráticas para os interesses exclusivamente de alguns que queriam se perpetuar no poder.
Situações extremas, medidas extremas.
Também preocupa-me o que significa tudo isso. Mas a manipulação de pessoas TOTALITARISTAS é a outra face da questão do que estão chamando de sensacionalismo.
Os processos e investigações precisam ser levados até o final, sendo condenados no Estado de Direito os que tiverem provas e justificativas para tal. Sem exceções.

Daniel gil gomes - 19/03/2016 11:42

Parabens, compartilho do mesmo psnsamento, feliz por saber que a entidade que me representa, se manisfesta e se posiciona, tem meio apoio e respeito.

raquel de toledo - 19/03/2016 11:52

Fico muito feliz que estejam se posicionando publicamente. Sei que a posiçao de vcs, como classe, nao poderia ser diversa. Infelizmente, tenho visto circular pela rede posiçoes anti-democratica por parte de outras classes, como a de medicos ou dos fonaudiologos, posiçao essa que repudio frontalmente. Deveriamos todos, indistintamente, estar ao lado da democracia, como vcs muito bem colocaram no manifesto publico.

Uma das notas mais desprovidas de lógica de todos os tempos. Utiliza as pessoas como objetos e não como seres; define mal os termos e ainda defende tacitamente um posicionamento político que, inclusive e de fato, é contrário à neutralidade pedida pelo código de ética.

Aconselho a não se envolverem com isso, pq fica feio pro conselho copiar o argumento do PT aq.

Maria Sandra Pereira de Paula - 19/03/2016 12:30

Finalmente foi feito esse documento! Assino embaixo.

Roberta Malta Araujo - 19/03/2016 12:46

Prezado Conselho, Estou mui orgulhosa com a nota publicitada pelos senhores! E fidedigna ao exercicio da profissao e a defesa do Estado Democratico!!! Parabens!!!

Max de Jesus Carmelo - 19/03/2016 13:05

Excelente Nota. Estou totalmente de acordo. Estamos juntos nessa luta. Parabéns CFP.

Julyana Lima - 19/03/2016 13:09

Para um texto que se propõe a representar uma categoria poderia ser menos tendencioso a postura Petista, enquanto psicóloga não me senti bem representada, ao contrário, fiquei envergonhada de ver repetidas tantas palavras utilizadas na falta de argumentos contra os fatos como fazem os petistas! É contraditório criticar a mídea manipuladora e divulgar um texto tão tendencioso disfarçado de defesa de um estado democrático! De democracia o Brasil não tem mais nada, precisamos reconstruir esse estado e para tanto precisamos pôr fim a ditadura dos Petralhas!!

Gian Fonseca - 19/03/2016 13:33

Este conselho me orgulhando….Sábio posicionamento!

Eliane Jover - 19/03/2016 14:05

Que vergonha! Como vocês ousam fazer um comunicado partidário e tendencioso em nome de uma classe inteira? Não é essa a competência deste conselho.

Carla Reis - 19/03/2016 14:15

Apoio o manifesto ao fortalecimento da democracia. Contra a corrupção, a favor da justiça irrestrita e o fim do monopólio da força distorcida e manipuladora midiática.

Nivaldo Campana - 19/03/2016 14:24

Cem por cento apoiado.

É lamentável. Descobrir, neste momento, que a justiça não é cega.

Mariland Rodrigues de Freitas - 19/03/2016 15:02

Não concordo com essa posição panfletária do CPF, como se falasse em nome de toda uma categoria. Sinto-me ofendida, como profissional e cidadã, que o Conselho praticamente coloque palavras na minha boca.

Perfeito! Espetacularmente perfeitas as palavras!

Armando Resende Neto - 19/03/2016 15:50

Que vergonha, um Conselho Federal emitir uma nota destas. Não pensam que seus pacientes possam ler isto e deixar de procurar os serviços dos profissionais por vocês representados?

Vicente Cassepp Borges - 19/03/2016 15:52

Vergonha!!!!!!!!

CFP longe da sociedade e próximo do PT.

Richard Couto - 19/03/2016 17:07

Como psicólogo e cidadão, estou de acordo e orgulhoso com o posicionamento do CFP.

Ricardo S. Lima - 19/03/2016 17:35

Primeiro ponto a considerar:

A corrupção no Brasil, atualmente, é sistêmica, permitindo que se aja de forma a eliminar os entraves provocados pelos investigados, desvios de atenção das investigações, muitas vezes usando a população como escudo para esconder as ilegalidades cometidas. Lembra que nosso Brasil tem que agir com transparência? A presidente é um funcionário público, temporário, e como tal tem que agir com transparência, dignidade, respeito, HONESTIDADE, e como representa o chefe de Estado tem que dar o exemplo!

Segundo ponto:

Desrespeito à população e as autoridades judiciárias. Todo e qualquer brasileiro tem direitos iguais, inclusive o presidente da república, temporário por 4 anos e passível de sair antes do mandato, como foi o caso de Collor.
Já imaginou se o dinheiro não for investigado e os responsáveis punidos? O que a justiça brasileira dirá aos condenados por roubo?

Terceiro ponto:

Quando se extrai dinheiro dos cofres públicos ilegalmente já se perdeu todo e qualquer direito constitucional ou humano: falo de bilhões (talvez trilhões) de reais. Ademais os desvios ou falta de investimento em vários setores do país. Sabe quantas pessoas morreram por conta desta estupidez? Faz idéia do sofrimento que passam os brasileiros por causa desta “brincadeira” de pessoas sem noção, ou melhor, sem estudo? Sim! Porque você daria um piano a quem não sabe tocar nem irá ter aulas deste instrumento?

Quarto ponto:

Não esta existindo “justiça seletiva, parcial e partidarizada”, observe os atos da justiça Federal (com raríssimas exceções), não acusam sem as devidas provas materiais. Já imaginou se a Polícia Federal fosse submissa ao executivo? Como seria o país que você mora?
No Brasil um Poder não é mais que outro, tanto que acusações graves como as que surgem contra a presidente primeiro passam pelo STF e depois há uma recorrência pelas casas do congresso. Mas contra fatos não há argumentos.
Que tal Joaquim Barbosa como presidente? Ele também seria partidarizado?
O julgamento é algo complexo e difícil, portanto as investigações tomam rumo sério. Requer estudo, precedentes e uma vida regrada de caminhos certos, sempre.

Quinto ponto:

Quando você iria saber do rombo da Petrobras se a mídia não divulgasse? Que tal voltar ao tempo de outrora onde tudo era mascarado?
Tudo que recebo de informações primeiramente faço uma leitura de acordo com meus conhecimentos, em seguida faço várias consultas para averiguar a veracidade das informações. Este procedimento é herança da universidade, lembra?

Sexto ponto:

O que ė sensacionalismo? É a mídia divulgando um escândalo sem precedentes na história do Brasil ou o resultado positivo, por exemplo, da Lava a Jato?

Paulo Jelihovschi - 19/03/2016 17:37

Vergonha dessa nota! Como psicólogo, fico triste ao ver o CFP ferir o código de ética do psicólogo e se posicionar politicamente

REINALDO MÜLLER - 19/03/2016 18:03

Sensacional. Foi um privilégio poder ficar ciente do posicionamento do Conselho Federal de Psicologia — CFP.

Parabéns pelas posturas maduras, lúcidas, democráticas e sobretudo, responsáveis para com a cidadania — os direitos civis –e o Estado de Direito.

Vivemos sob “O império da Lei”. Os profissionais da área Psi são “guardiães” da Democracia e da Justiça social.

atenciosamente,

Prof. Reinaldo Müller

Sônia mara pavanelli - 19/03/2016 18:06

Não ao golpe da direita

Paula C Gomcalves - 19/03/2016 18:14

Importantíssimo que o CFP se posicione a classe e a sociedade, reafirmando os princípios éticos, políticos e sociais que devem nortear a pratica do Psicólogo!!

Também sou a favor da justiça social, entretanto somente pelo fato de termos colocado o atual governo do poder não o exclui de ser punido pelo erro de corrupção. Não é somente a rede globo relatando os fatos são vários canais com cientistas políticos em discurso o processo está em várias instâncias da justiça até a suprema corte todas são manipuladas já é muita pretensão, acho vergonhoso o crp defender atos corruptos venha de onde for.

José Carvalho - 19/03/2016 18:32

Muito boa a explanação, que o combate a corrupção seja realmente repúblicana, e náo políticagem.

Vanessa Domingues Ilha - 19/03/2016 18:34

Democracia com pessoas honestas!!!
Esse comentário não me representa!!!!!

Sandra correia - 19/03/2016 18:42

O cfp como qualquer entidade de classe precisa se posicionar em relação aos acontecimentos do país que interferem diretamente em princípios básicos que norteiam a profissão. A muito a psicologia vem questionando aquelas práticas que reproduzem o mal estar na sociedade decorrente das injustiças e da desigualdade social. As pessoas não são monadas que existem independente do contexto que o rodeia de forma mais ampla, de forma que a prática psicológica só pode ser compreendida a partir de uma realidade de estrutura da sociedade. A sociedade, por sua vez, é o resultado de uma conjuntura economica e politica . Assim, e imprescindível que o psicólogo conceba sua prática a partir de um contexto histórico, questionando a serviço de que está o seu fazer. A psicologia é uma forma de poder. Não há intervenção psicologica apolitica . Eu acreditava que estes eram princípios eram senso-comum entre os psicólogos, mas quando leio sobre os efeitos da mesma para uma parte destes, vejo que a nossa prática continua sendo ainda privativa, descontextualizada e com pretensões de ser apolitica e pautada pelo mito da neutralidade científica. Aqueles que ingenuamente se pretendem apolíticos, sem perceber, já tem uma opção política. E claro que não estou falando de política partidária, acho que isso é óbvio, mas esta confusão conveniente ainda existe. Assim saúdo o cfp pela iniciativa e que está nota nos sirva de diretriz para nosso fazer nesta ímpia tentativa de golpe que estamos prestes a viver novamente em nosso país.

Celeste Maurício - 19/03/2016 18:45

Uma nota que traduz e revive o juramento que fiz ao receber o meu diploma! Maravilhoso constatar que num momento crítico como este, o meu pensamento e minha postura estão em sintonia com o CFP, o Conselho que me representa! Por uma sociedade mais humanizada sempre!

Cristina Oliveira - 19/03/2016 18:54

E algum brasileiro de bem está interessado no que um conselho de psicologia entende de Leis, de Constituição, de Direito???
Limitem-se por favor em cuidar da área dos senhorez que aliás, nunca foi muito credível e muito menos necessário e deixem a área que não lhes compete de fora.
Cada psicólogo possui o direito de pensar o que desejar, mas convenhamos… Deixem de atrapalhar o que já está para lá de atrapalhado. Arrumem algo produtivo para fazer. Cuidem de idosos. Façam filantropia e desatravanquem o caminho que a nação quer passar!!!

Leticia Barros - 19/03/2016 18:56

Pode o Conselho induzir psicólogos a convicções políticas? Não seria mais sensato ser apartidário? Qual é o papel de vocês? Percebo incoerência nas ações do Conselho ao próprio código de ética, como também exercendo um papel diferente do que consta a lei.

Adriana Moraes - 19/03/2016 19:11

Parabéns CFP orgulho de ser psicóloga , texto que transmite meu posicionamento

Adriana Moraes - 19/03/2016 19:12

orgulho de ser psicologa

Muito questionavel o posicionamento de vocês. Fico indagando quais benefícios vocês mesmos estão defendendo. Vocês pontuam sobre o que pensa a categoria, mas em nenhum momento eu fui consultado, para inclusive se saber o que a maioria pensa. Ou seja, citam defender a democracia, desde que ela esteja de acordo com suas ideias. É uma pena que vocês acreditem que o que está acontecendo é fruto de uma “mídia manipuladora” e em ” julgamentos publicos” sem abertura de processos. Ou vocês são realmente ingênuos ou realmente mal intencionados. Por fim, porque será que vocês utilizam EXATAMENTE a mesma expressão usada em discurso do governo, “convulsão social”? Atenciosamente

Nair Souza - 19/03/2016 20:02

Como assistente social enfrento barreiras inúmeras para dar conta de demandas provenientes deste caos social que se apresenta. Do mesmo modo nos perguntamos que estado e esse que se esvasia de direitos como se estes fossem propriedades descartaveis? Como cidadã vivo esta mesma insegurança geral e ampla…como disse o poeta: que país esse?? S.O.S para nossa pátria amada!! Não permito que me “vendam” um Brasil sem dignidade e ética !

Boa noite,
Discordo do posicionamento do Conselho. Esta nota mostra a defesa aberta a um governo envolvido em um dos maiores casos de corrupção dos últimos tempos. Considero lamentável esse viés político esquerdista que se instaurou no conselho. Expressaram a opinião do CFP, por isso estou expressando a minha.

Marcia Munhos de Campos CRP 07/07249 - 19/03/2016 20:21

Acho um absurdo um conselho se posicionar politicamente desta forma. Sem nem consultar os psicólogos.
Vou provar como esse manifesto aqui está tendencioso.
1 sou contrária à justiça seletiva e a inocência seletiva também. Algumas pessoas estão sendo investigadas no momento, outras serão em outro
2 associar a polícia a antidemocracia ou a ditadura, é um raciocínio extremamente raso. A polícia existe para nos proteger. Por não termos polícia que o país está nesse caos e nessa violência.
3 todos temos opções de assistir o programa que quisermos. Tenho assistido diversos canais e todos estão noticiando o que está acontecendo. Ou a TV nos informa ou isso seria uma obstrução da liberdade de imprensa.
4 a declaração de que as manifestações são “um golpe” já denota a identificacao política deste conselho é isso não compartilho.
5 sempre escândalos de corrupção quando divulgados eram dessa forma. A população está cansada de corrupção, como querem que sejamos cálidos nesse momento? Um surto esquizofrênico vcs tb acham que não pode ser sensacionalista?
6 direitos humanos não está ligado somente a mulheres, negros, indígenas, , jovens população de rua e LGBT. direitos humanos como o próprio nome diz está associado a direitos Humanos, a TODOS os humanos de forma igualitária com equidade. Vcs esqueceram de listar pessoas com depressao, com síndrome de asperger, autistas, esquizofrênicos, transtornos de ansiedade, síndrome do pânico, pessoas feias, pessoas bonitas, pessoas pobres, mulheres gordas…e tantos outros que sofrem violência todos os dias pela sociedade.

TODAS AS MANIFESTAÇÕES TÊM SIDO EM DEFESA DA DEMOCRACIA E MAIS DO QUE ISSO, TEM SIDO UM ATO DEMOCRÁTICO, ONDE A POPULAÇÃO SE MANIFESTA, COM O PODER QUE DEVE EMANAR DO POVO. OU SERÁ SOMENTE LEGÍTIMA AS MANIFESTAÇÕES DE BANDEIRAS VERMELHAS. ???

Peço por mim e por diversos colegas psicólogos que partilham da minha opinião que esta manifestação do CRP seja revista. Afinal vivemos num país democrático , num estado democrático de direito.

Atenciosamente.

Marcia Munhos de Campos

Carolina Hartenthal - 19/03/2016 20:48

Muito obrigada por se posicionarem de forma clara e humanitária.

Gustavo botene - 19/03/2016 20:53

Excelente

Marcos Fabiano - 19/03/2016 20:57

Orgulhoso do posicionamento!!! É isso aí Conselho Federal de Psicologia pela defesa dos Direitos Humanos e pelo Estado Democrático de Direito no Brasil!!!

Maria Leonor Ferreira de Araujo - 19/03/2016 21:25

Sinto me contemplada com o posicionamento do CFP e reafirmo minha solidariedade a todos que sofrem injustiças promovidas por agentes do Estado, neste momento, não posso deixar de citar ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Eduardo Augusto Schmitt - 19/03/2016 21:33

Nesse imenso país, sou um cidadão entre milhões de cidadãos brasileiros que paga com bastante sacrifício seus impostos e ver tristemente um país falido, na saúde, segurança e principalmente na educação. A base de um país sólido está na educação. Sinto uma tristeza enorme de ver o que são nossos políticos e fico pensando o que será de nossos filhos e netos.

Nilza Moraes Baptista - 19/03/2016 22:03

Quero deixar claro que com este ATO, principalmente, ao que se refere seu item 5, o CFP me representa.
A mesma clareza e compromisso com os cidadãos deveriam ter as demais entidades de classe, inclusive a OAB, que neste momento, parece-me tendenciosa, salvo engano.

Antônio de Queiroz Pereira Calças- CRP 13892 6a região - 19/03/2016 22:46

O CFP não me representa. Fora Dilma

Teresinha Porto Noronha Ferraz de Arruda - 19/03/2016 22:48

Nossa profissão se propõe a promover a livre expressão e convivencia com diferenças, dentro dos limites da ética e da lei.É uma tarefa difícil…Se as pessoas precisam aprender a escolher seus gestores, estes tb precisam aprender a utilizar o poder dentro dos limites da lei.Gostaria de expressar que não me senti representada nesta posição do conselho.Pelo contrário, me senti incomodada por estar incuída , de certa forma , num posicionamento contrário as minhas ideias, tb legítimas e respaldadas por uma vida profissional exercida dentro de princípios éticos .Varios outros conselhos de classe se manifestaram em relação a este momento, de modo comprometido com as pessoas e com a verdade, com a igualdade entre as pessoas e aplicação da lei para todos, pelo respeito às instituições.

Acredito que o CFP tem mais dignidade do que se envolvendo em política e ficar defendendo o PT. Façam o trabalho de regulamentar a nossa profissão, o dinheiro da registro serve para isso, não para ficar defender causas partidárias.

Parabéns pelo posicionamento ético!
É assim com coragem e isonomia que o nosso judiciário deveria agir. Orgulhosamente parabenizo o Conselho pela coragem e respeito ao cidadão brasileiro divulgando esta nota.

Andressa - 19/03/2016 23:31

Curioso o fato de as pessoas com deficiência não terem sido incluídas nas minorias citadas no ítem 6. Poderíamos culpar a mídia também por este pequeno esquecimento, visto que apenas os grupos citados parecem merecer atenção neste país… enfim, este é só mais um comentário.

Estou de pleno acordo desta nota que acabo de ler,a Constituição tem que ser respeitada assim como tds cidadãos ,todos temos direitos e deveres para com nosso País,mas também não podemos nos omitir na atual crise democrática a qual estamos passando .Precisamos nos unir através do nosso voto para ser um País que promova o bem estar da Nação sem prejuízo dos patrimônios que são devassados nestas reenviducacões que está havendo em Td País!Queria poder me orgulhar num futuro bem próximo de ser uma cidadã Brasileira

Conselho Federal de psicologia

Patrick Ramon Stafin Coquerel - 20/03/2016 2:40

Parabéns ao posicionamento do Conselho Federal de Psicologia

Barbosa G. Ocimar - 20/03/2016 2:43

Estamos lidando com corrupção. Roubo do dinheiro que que se poderia aplicar no desenvolvimento real do povo do Brasil. Estamos falando de como um partido vilipendiou a ética, a moral e nos envergonha. E vem o CFP com uma nota dúbia, onde defende o Lula, a Dilma e o PT, com dissimulações, alegando “estado policial”. Os nossos políticos são ladrões do povo! São eles o nosso Estado Islâmico! Roubam o dinheiro do povo e vilipendiam a nossa moral, a nossa democracia com um projeto de poder onde eles se tornaram a classe mais privilegiada do planeta! Que CFP é esse? Vergonha, digo eu também. Nojentos.

Maria Luísa Santana - 20/03/2016 3:07

Concordo e apoio plenamente

Ana Carolina Diefenbach - 20/03/2016 3:42

Feliz por fazer parte desta classe. Procuremos não perder o foco no momento resgardando e respeitando indivíduo e instituições. Todos juntos caminhando para um bem maior. Integridade, respeito sócio e pessoal.

Eliane Monteiro - 20/03/2016 6:11

Parabéns pela oportuna e lúcida declaração do CFP.

Ruth Helena Maria Silva Souza - 20/03/2016 7:04

Me sentindo feliz e em paz, pois como psicóloga e historiadora, vejo que as palavras do CFP me representam e me orgulham. Muito obrigada…

ANTÔNIO - 20/03/2016 7:08

Momento histórico, os ajustes começaram, nada vai frear o que está por vir!

Ana Maria Domingues 5 - 20/03/2016 7:43

Em defesa da democracia

Evaldo Ferreira da Costa - 20/03/2016 7:57

caros membros do conselho Federal de Psicologia,
Diante do exposto ficaram para mim duas dúvidas que eu gostaria que vocês me explicassem:
1. Vocês estão se posicionando contra as investigações da corrupção que ocorre no atual governo investigado pela chamada operação lava jato?
2. A liberdade de imprensa é importante em um Estado Democratico de Direito?
Aguardo resposta de já muito agradecido
Evaldo Costa crp 11/1846

Angélica da Silveira - 20/03/2016 8:56

Recebi o link do CFP de minha afilhada, que é estudante de Psicologia da Fundação em Porto Alegre, e fiquei contente com o que li. Aos poucos vou arrecadando outros posicionamentos mais lúcidos e preocupados com todos esses absurdos ameaçadores que nos rodeiam de uma falta de legalidade e uma massa esmagadora manipulada e manipulável. Peço permissão para compartilhar essa incrível nota que me representa.

Se o cfp está convicto das irregularidades citadas e se pauta para se pronunciar pelo que se estabelece os direitos humanos, não seria o momento de assumir uma posição pra além de uma nota de repúdio?

CARLEM TATIANE MISSEL GONÇALVES - 20/03/2016 9:47

Lamentável que o CFP tenha emitido essa nota.
Quero deixar aqui minha insatisfação e indignação.
O CFP não fala por mim e não me representa.
A nota se diz apartidária, mas repete quase na íntegra o discurso petista.
Lamentável mesmo que o CFP, um órgão que deveria lutar por nossa profissão, esteja se voltando para ideologias políticas ao invés de continuar sendo uma ciência.
Deveria se manter imparcial. estamos hoje em uma guerra política, e o CPF instigou ainda mais essa guerra. É só olhas os comentários desta nota no FB, psicólogos que deveriam ser uma categoria unida, discutindo e se xingando por causa disso.
Parabéns CFP, se superou!!!!

Rosalice Lopes - 20/03/2016 11:35

Bom dia,

Fico extremamente feliz quando vejo o Conselho de minha categoria se colocando de forma justa e ponderada quanto aos eventos políticos que vivemos em nosso país. Uma sociedade justa, que preserva o estado democrático de direitos, atua de acordo com os princípios estabelecidos em nossa constituição. Não podemos ceder às posturas parciais e radicais. Devemos buscar a verdade com respeito e equanimidade. Não podemos construir um futuro para nossas crianças e adolescentes sendo adultos que demonstram a falta de respeito observada em tantas manifestações públicas, inclusive com apoio de alguns veículos de comunicação, a qual instala nas gerações futuras o espírito da rivalidade e desrespeito aos seres humanos.
Parabéns ao nosso CFP pela sua manifestação.

Rosalice Lopes

Rita de Cássia Gesualdi Fernandes Neto - 20/03/2016 11:49

Parabéns!!!!
Como profissional e pessoa humana o Conselho Federal de Psicologia me representa.
Lutemos com imparcialidade, respeito e dignidade por um país melhor, mais humano e, realmente, igualitário.

Rosimeire DDFreitas - 20/03/2016 13:05

Parabéns pela excelente nota, creio que é de suma importância garantir os direitos constitucionais, pela legitimidade do processo democrático brasileiro, pelo respeito a diversidade de opinião,pelo respeito as instituições democráticas…
Mais uma vez Parabéns!!!

Luciane Engel - 20/03/2016 13:27

A nota está bastante contemplativa dos principais princípios da Psicologia. Entretanto, acho que poderia haver uma menção mais direta acerca da arbitrariedade em relação ao impeachment.

Logo vocês, que deveriam ter plena consciência do que essa corja vem fazendo ao Brasil, se posicionam em favor desta ditadura de esquerda?
Muito contraditório!
Todos sabem das seletivas intervenções na psicanálise por parte da esquerda. E vocês que estão mais próximos disso ficam a favor?
Ainda bem que conheço diversos psicólogos que não concordam com este posicionamento. Creio que vocês estão falando sozinhos.

Posicionamento de um conselho que não representa seus membros. Como psicólogo, envergonho-me de qqr posicionamento político que o conselho venha a tomar. Espero retratação pública e retirada da nota.

Glaucia Barros - 20/03/2016 14:35

Isso é o medo de enfrentar a realidade e admitir que este governo tornou inviável a sua continuidade. Não estamos diante de abuso do judiciário em relação ao governo. Estado democrático de direito incide no respeito à lei e a honra do povo que está indignado com esta avalanche de corrupção forjada por conchavos que violaram a dignidade do país. Estamos estigmatizados pelas declarações de Lula e Dilma… Estamos humilhados pela falta de noção destes seres arrogantes que se acham acima da lei, de nós e da Constituição Federal. O meu repúdio à esta declaração que mostra extrema indiferença ao clamor de um povo que acordou e que não vai acreditar mais em gente que prega a divisão do capital só para quem lhes é conveniente aniquilando a classe média e inviabilizando o mercado, tornando o país um celeiro de peões massificados por seus mandos sem embasamento…. lamento muito, mas será resgatada a vontade da maioria que é a base da democracia: o povo elege e o povo demite!!! Golpe é fazer conchavos e desrespeitar a CF para se manter no poder….

Adélia Morais - 20/03/2016 14:59

A democracia é o melhor canal para exercitarmos e melhorarmos continuamente a pratica a justiça.

Rogerio vaz - 20/03/2016 15:03

Pesquisa: vc ,psicologo,jé a favor do comunicado ou contra o impeachment de Dilma Rousself?
Anota apoiando deste Conselho a presidente Dilma reflete a sua opiniâo?

Leci Mascarenhas - 20/03/2016 15:49

Em defesa da democracia digo não ao golpe do estado de direito! Não podemos aceitar mais esse tipo de golpe no nosso país!

Pereira Passos - 20/03/2016 15:56

“queremos nos posicionar de modo solidário e defensor do direito de mulheres,(…)e comunidade LGBT, que sofrem violência…”.
Que se posicionem, pois, em relação a quem se refere a “mulheres de grelo duro”.

Maria Ângela - 20/03/2016 17:37

Parabéns a esse Conselho, pela coragem em expor a sua defesa veemente em favor da nossa jovem democracia que, além de atacada pela grande imprensa, diuturnamente, também o é em algumas instâncias do nosso sistema judiciário, que deveria ser o guardião do Estado Democrático de Direito.
Me orgulha pertencer a esta categoria!

Não há nenhuma justificativa ética para um posicionamento político do Conselho de Psicologia. Nossa profissão deve, antes de tudo, ser neutra à medida do possível, evitando desconfortos, afastamentos ou seguidores alienados pelo conforto emocional que oferecemos.
O CFP não me representa com esta publicação e me envergonha por sua falta de ética em um momento onde a ética deveria ser mais do que preservada nas outras instâncias, já que a política está devastada.

ALEXANDRE PEDROSA PINHEIRO - 20/03/2016 19:08

Fico feliz com o posicionamento de um entidade reconhecida pelo seu papel, quanto aos profissionais de psicologia. É fato e notório que a democracia corre risco e é papel ético e legítimo, o posicionamento do conselho a respeito do momento que vivemos. Me sento representado por quem cuida da saude psíquica da humanidade.

ALEXANDRE PEDROSA PINHEIRO - 20/03/2016 19:09

Fico feliz com o posicionamento de um entidade reconhecida pelo seu papel, quanto aos profissionais de psicologia. É fato e notório que a democracia corre risco e é papel ético e legítimo, o posicionamento do conselho a respeito do momento que vivemos. Me sinto representado por quem cuida da saude psíquica da humanidade.

cristina ribeiro - 20/03/2016 19:43

Nesses momentos difíceis que passamos é preciso refletir sobre as nossas ações. O que queremos para nossa vida? E para o Brasil? Cada um de nos é importante para a construção da democracia.

Cristiano Antunes da Silva - 20/03/2016 20:07

Parabéns, o CFP me representa!!

Silmara Vieira da Silva - 20/03/2016 20:16

Manifesto aqui meu mais profundo respeito à Nota elaborada pelo CFP, registrando meu absoluto alinhamento com as questões pontuadas.

Trago para a reflexão, portanto, que os interesses que atuam para além do visível, usando toda a força da mídia manipuladora, a parcialidade, partidarismo e seletividade da “justiça”, operando de forma escorregadia contra Estado Democrático de Direito e disfarçando sua natureza corrúpta num hipotético movimento contra a corrupção, muito provavelmente conseguirá efetivar o impedimento do Governo, evitando inclusive a ação do STE (o que levaria a uma nova eleição). Nesse sentido, considero não termos como contar com os poderes legislativo e judiciário para uma condução ética, equilibrada e republicana e, por tal, nos seria um caminho d conta-golpe a realização de um PLEBICITO JÁ, pelo qual a população Brasileira pudesse dizer, sem intermediários, se:

1) quer que haja uma renúncia condicionada a uma imediata nova eleição; ou

2) quer que se garanta governabilidade para que esse governo democraticamente eleito corrija os rumos e cumpra os compromissos assumidos em 2014.

Para isso, instituições responsáveis e lúcidas precisariam promover uma grande campanha que precionasse o executivo e o legislativo a instalar esse processo de escuta direta da sociedade pelo Estado.

Penso da mesma forma e por isso estou assustada vendo “justiças parciais ” sendo glorificadas , e líder político que tanta coisa boa implantou no nosso país ,acabando com a fome do povo , sendo bode expiatório ,personificando a junção de todos os males e recebendo todo ódio da população massa de manobra.Lamentável !

Lsis de Castro - 20/03/2016 21:06

Vocês têm toda a razao. Mais uma vez depois de 1962, a Globo derruba um governo legítimo no Pais

Simone de Miranda Rodrigues - 20/03/2016 22:42

Parabéns ao CFP!! Isso é defesa da DEMOCRACIA!!

Vania Maria Machado - 20/03/2016 22:52

Esta Nota me representou como psicóloga! É isso que espero dos psicólogos e psicólogas e de suas entidades representativas comprometidas com a profissão e com a sociedade em que vivemos. A pauta agora e a Democracia! Sem democracia, não teremos como lutar por salário digno, jornada de 30h.

Wemerson de Amorim - 20/03/2016 23:04

Fundamentos e conduta adequados e pertinente. Parabéns e obrigado pela manifestação na qual me reconheço.SALVE! SALVE!

Daniela Braz Dias de Sousa - 20/03/2016 23:57

O papel do Conselho deveria ser o de lutar em prol da profissão (psicólogo). Acredito que essa manifestação tenha sido tendenciosa, o que na minha opinião não deveria acontecer, uma vez que o ideal, tendo em vista o compromisso ético do psicólogo, é mostrar-se apartidário. O texto acima não me representa como profissional e entendo que defender interesses políticos não seja o papel do Conselho e sim de melhores condições de trabalho.
Att. Daniela Braz Dias de Sousa
Crp 01/14916

Maria Alice de Oliveira Pinto - 21/03/2016 0:04

De pleno acordo com o conteúdo sensato do texto, muito bem redacionado.

Maria Alice de Oliveira Pinto - 21/03/2016 0:07

Plenamente de acordo com o conteúdo sensato do texto, muito bem redacionado

Maria Cristina Pedro Biz - 21/03/2016 7:58

Parabéns ao CFP! A entidade reafirma seu compromisso com a categoria, e principalmente, com a sociedade! Reafirma de forma
seu histórico político!

Roberto de Aquino Neves - 21/03/2016 8:16

ESTOU PASMO!
Vocês sabem mais Direito que os atuais Dirigentes da OAB! Parabéns! Tem meu apoio, e de grande parte dos advogados brasileiros! Ah, se pudéssemos trocar de filiação….

Rosângela Lizardo - 21/03/2016 8:23

Parabéns pela manifestação. Senti orgulho!

Marcus Jamacaru - 21/03/2016 9:12

Parabéns pela clareza e pela iniciativa em esclarecer para a sociedade as questões políticas que mexem tanto com o Brasil nesse momento importante da nossa história. É imprescindível que as instituições se manifestem e norteiem o rumo a ser seguido para que cada vez mais possamos ter um país mais justo e unido e um futuro pleno de direitos sempre mantendo conquistas sociais tão arduamente conquistadas…

Maria Freitas - 21/03/2016 10:31

Considero lamentável e preocupante que o CFP se posicione no calor dos acontecimentos e com este teor claramente partidário. O juiz não é um político, mas agiu no cumprimento do seu dever, por estar totalmente implicado na solução dos casos do crime de corrupção/Operação Lava Jato, operação na qual o ex-presidente é investigado. Cabe ao Judiciário julgar sobre a legalidade ou não da sua conduta. Quanto a nós, cidadãos e instituições APARTIDÁRIAS, nos cabe esperar o desenrolar dos acontecimentos e torcer para que crimes de corrupção nesse país sejam de fato investigados, e punidos os criminosos.

Mariovaldo Silva - 21/03/2016 11:15

Vocês conseguem falar algo com mais direcionamento do que apenas escrever um textão e deixar qualquer um que o lê em dúvida do que leu?
Eu li, reli, vocês só falam, falam, falam e morrem afogados.
Digam logo que apoia um governo, onde roubar de quem trabalha para se sustentar e usar para meios escusos é o que tem trazido a tona a atual situação estarrecedora.
Tenham vergonha na cara.

Ana Paula Corrêa de Menezes - 21/03/2016 11:18

Claro e Objetivo!

Rafael Souza - 21/03/2016 11:24

Com imenso orgulho que compartilho essa nota!!!

Ana Carolina Figueiredo de Araújo - 21/03/2016 11:50

Além da desobediência ao Art. 85, do regimento interno, o CFP cometeu uma falha grave no primeiro parágrafo da Nota, pois até o presente momento, não houve violações e desrespeitos às instituições democráticas no Brasil. Essa premissa, por si só, já invalida o conteúdo da Nota, deixando-a, portanto, de ser crível.

Regina Helena Mariano - 21/03/2016 12:00

Assino em baixo todos os itens! Um NÃO as arbitrariedades!

Douglas Borges lisboa - 21/03/2016 12:05

texto

Leonidas Valverde - 21/03/2016 12:06

Quero parabenizar o CFP pela iniciativa. Precisamos nos posicionar quando os direitos democráticos e são ameaçados e violados. O que estamos vivendo na atual conjuntura nos remete a tempos não muito distantes de nossa história, nos quais os direitos básicos e as liberdades democráticas foram violadas, assim esse posicionamento da classe é de suma importância para garantir que momentos sangrentos de nossa história não se repitam.

Lucas Cocozze Simoni Guedes Mendonça - 21/03/2016 12:31

Isso sim´e democracia

Ione Gonçalves - 21/03/2016 13:59

Sou advogada e neste momento grave por que está passando o Brasil me sinto representada por este Conselho e não pela OAB.Excelente a Nota!

Lamentável é ver um Conselho com discurso totalmete politizado e parcial. Não vejo nesta nota uma avaliação imparcial como deveria ser, visto que, o conselho a priore representa uma classe com inúmeros profissionais de diferentes vertentes políticas. O Conselho, descaradamente, adotou todas as falácias ideolégicas da quadrilha que hoje governa nosso país.
É LAMENTÁVEL
Deixo aqui o registro de que este Conselho, enquanto procurar atender interesses políticos, Não me representa.

Psicologia sempre dando um show de coerência e humanismo, parabéns

Marcelo Augusto Ramalho Gama - 21/03/2016 14:53

Parabéns ao CFP pelo posicionamento. Independentemente do partido ou ideologia política devemos sempre ser a favor da democracia.

Célia Cristina - 21/03/2016 15:16

PARABÉNS, atitude ética, corajosa, cidadã e responsável!!!

Thiago Oliveira - 21/03/2016 15:31

Parabéns pelo ato, necessário proteger o Estado de Direito. E atuar de forma obediência as normas constitucionais e infraconstitucionais. Parabéns pela declaração.

Fátima Romualdo da Silva - 21/03/2016 15:39

Orgulhosa e na luta pela democracia.
Não vai ter golpe!

- Pela não banalização das Instituições democráticas.

Eluza Nardino Enck - 21/03/2016 15:53

Fiquei muito impressionada e desconfortável com o texto divulgado no site do CFP. Chama muito a minha atenção este conselho vir a público posicionar-se em favor da ética e do apartidarismo, contra a “justiça partidarizada”, quando seu discurso é totalmente partidário, tendencioso, muito semelhante aos que estamos ouvindo por parte dos defensores de um governo anti-ético, desrespeitoso com as instituições públicas, sejam jurídicas, legislativas e com a população. O Conselho de Psicologia representa, ou deveria representar, a todos os psicólogos do Brasil, sendo quais fossem suas tedências políticas. E assim deveria se pronunciar. O que vemos, entretanto, é um discurso que chama de sensacionalista a divulgação de fatos extremamente graves, que expressam a índole e os desvios de personalidades onipotentes e arrogantes, de quem se coloca acima de qualquer lei, ética e respeito ao outro. Se os psicólogos não conseguem enxergar isto, objeto de estudo para o qual deveria estar preparado, o que esperar das pessoas leigas, que não possuem instrumentos e o treinamento que espera-se dos psicólogos? Não cabe ao CFP fazer julgamentos sobre processos jurídicos, quando e como devem se desenvolver – não é da nossa alçada. Julgamentos tais como ” criminalizar e promover julgamentos…..em que processos jurídicos tenham sequer sido abertos”. Falar da divulgação de fatos como sendo “manipulação da mídia…”? Fatos são fatos. A negação destes é extremamente grave. O conhecimento do povo sobre sua exploração, sobre os crimes cometidos sobre seus direitos, o roubo de suas divisas, não gera sentimentos de raiva e rivalidade, tal como afirmam. O que a transparência da verdade sobre os fatos gera, é um grande conforto e sensação de reconhecimento de um sentimento de estar sendo enganado há tantos anos, sem que ninguém ousasse denunciar. E que se esta possibilidade que está sendo dada de conhecimento, nos instrumentaliza para estarmos mais atentos, e fortalecidos. A psicologia é pautada pela busca da verdade e é isto que uma entidade, representante dos profissionais desta área, deveria estimular e buscar. Muitas mais questões poderiam ser levantadas a partir desta manifestação do CFP, que embora não se assuma, deixa claro a nós psicólogos, uma tendência partidária, que não se esperaria desta maneira, até porque isto não representa um número muito significativo de profissionais deste pais. Por que não se manifestaram ao longo do tempo, diante de inúmeras idéias de ameaças de usurpação de direitos, de medidas tomadas sem nenhum conhecimento das repercussões psicológicas implicadas e total descaso aos profissionais que nelas poderiam opinar e atuar?
Ameaças tais como colocar o “exército do MST nas ruas” contra os que pensam diferente. Isto não é ódio, não é divisão de um país? E quando os ricos, os industriais, os profissionais liberais, como muitos de nós, não são considerados “trabalhadores” e sim a elite que deve ser combatida? Esta posição do CFP causou muita indignação a grupos entre os quais estou inserida e onde uma frase se fez ecoar: ” Como é ruim ser representados por alguém que não nos representa,”
Inviato da iPad

Esse conselho não me representa faz tempo> Sempre falo que sou psicóloga por opção e registrada por obrigação. Não é a primeira vez que faz nota de apoio ou repúdio à questões que são e ordem política, classistas ou religiosas. Sendo que no Código de ética Profissional do Psicólogo coloca restrições para o psicólogo no que diz respeito, afirmando que é vedado ser:

b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas,religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais;

Outra coisa, o que vocês entendem por democracia então, se não é o povo sair na rua e poder declarar sua opinião qualquer que seja. Que vergonha!! Vocês não fizeram um plebicito pra saber a opinião dos psicólogos do país em relação a atual conjuntura política e social do Brasil, pra poder falar pela maioria. Isso é uma ferida a democracia e se eu tivesse conhecimento na advocacia e tivesse tempo pra investir numa ação contra o conselho vocês teriam que se retratar com a nossa classe.

Luana Gomes - 21/03/2016 16:58

Indignada com esse tipo de nota! Totalmente partidária!! A PARTIR DE HOJE ESSE CONSELHO NÃO ME REPRESENTA MAIS.

Lindsey Farias - 21/03/2016 17:46

Sinto-me representada e aliviada pela nota de esclarecimento do CRP.
Obrigada.

Caroline Milman - 21/03/2016 18:02

Estamos todos de acordo com ideias como etica, transparencia e justiça. Entao por que o Conselho nao limitou-se a se manifestar a favor disso, assim como a maioria dos brasileiros neste momento, que nao está tomando partido e sim lutando por um País melhor. Que toda corrupção deva ser punida, independente do partido, tambem imagino que estejamos todos aqui de acordo. Lamentavel que o CFP tenha perdido esta chance, ao se posicionar para “um dos lados”. Eu, particularmente estou do lado da justiça e da punição aos desmandos. Coisa aliás que ja nem tinha mais esperança que pudesse acontecer. O povo tem o direito de saber como o seu dinheiro e o seu voto são usados.

Nancy Ferraz Carneiro Serrão - 21/03/2016 18:12

Creio que o Conselho Federal de Psicologia deveria rever a nota publicada em relação às manifestações que vêm ocorrendo no Brasil, levando em consideração que o Código de Ética do Profissional Psicólogo, na forma da resolução n. 010/05 do Conselho Federal de Psicologia, publicado no Diário Oficial da União do dia 29 de julho de 2005, em seu artigo segundo, alínea a, declara ser vedado ao profissional psicólogo “Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais”.

Não cabe ao Conselho Federal de Psicologia, instituição que representa os profissionais da área, assumir postura favorável a este ou àquele lado, ferindo ao próprio código de ética. Senti-me lesada com a publicação desta nota enquanto profissional psicóloga.

Márcia Miotto - 21/03/2016 18:31

Parabéns pela manifestação, muito coerente!

Bianca Nickele - 21/03/2016 18:48

Nota vergonhosa.
Lamentável ver o CFP com um discurso partidário.

Gostaria de deixar claro que não aceito ser representada por esse texto. Me sinto envergonhada! As pessoas precisam analisar fatos…não existe somente um tipo de mídia.

O juiz já deu o veredicto? Desculpe minha ignorância, não assisto tv e nem leio jornais. Se brigarmos vamos apenas nos autodestruir. Todos queremos o fim da corrupção! Não creio que a violência contra outra opinião seja a resposta contra corrupção. Infelizmente este espetáculo todo não vai exterminar de uma vez por todas a corrupção secular brasileira. Se uma coisa é apartidária, esta é a corrupção.

Talita Harumi - 21/03/2016 20:52

Aplausos a este conselho profissional pelo posicionamento democratico.
Que todos os corruptos sejam condenados, mas sempre respeitando os principios de um estado democratico de direito.
Bravo!!!

Maria Alice de Oliveira Pinto - 22/03/2016 0:39

Plenamente de acordo com o conteúdo do texto, muito bem redacionado, o mais a dizer ficaria redundante. Obrigada!

José Alfredo - 22/03/2016 3:59

Contra fatos não há argumentos. A elite vermelha do PT suspendeu à ética e moral que tanto defendia no Brasil. O mores e ethos foram suspensos por essas mentes criminosas de natureza sanguinistas. A Dama de vermelho continua brilhando na escuridão da noite, porque acredita que está à cima do bem e do mal. E o carrasco se auto-inocentou, quando duvidou da honestidade dos brasileiros.
Os engodos estão envergonhando e surrupiando a história da República e fragilizando a democracia brasileira.
Se Lula afirmou que foi no governo do PT que a Polícia Federal e Ministério Público estão tendo liberdade investigativa, por que não deixar que estas instituições façam o trabalho delas?
Não foi o Senhor mesmo que afirmou numa coletiva de impressa aos blogueiros durante café da manhã no Instituto Lula, numa quarta-feira (20/01/2016) que disse “Não existe viva alma mais honesta do que eu nesse país”. E continuou: “Pode ter igual, mas eu duvido”.
Senhor ex-presidente, por favor, deixe a PF e os membros do MPF realizar os trabalhos que competem estes órgãos e não destrua com a sua arrogância e sua nefasta investidura contra a imagem dessas instituições tão séria neste país.
A final de conta, Senhor Luis Inácio Lula da Silva, “quem não deve, não teme”. O Senhor não é o cara? O palatino da ética e da moral? O pai da verdade, por que o Senhor está rescindido e depressivo?
O Brasil dos brasileiros tem esperança e sabem que caberá ao Dr. Sergio Moro pelo imperativo da lei, destruir o leviatã, desnudar o farsante oculto e restaurar a Ética e a Moral no Brasil.

Angelo Dias - 22/03/2016 7:05

Declaro que essa publicação do CFP não me representa como profissional!

Lenira Politano da Silveira - 22/03/2016 7:44

Parabéns ao Conselho Regional de Psicologia pelo posicionamento! Assim com algumas universidades e outros grupos já fizeram penso que esta nota poderia ser subscrita pelos profissionais que apoiam a democracia e a legalidade. Lamento que alguns colegas não entendam o momento que estamos vivendo no país e estejam transformando a grave crise política numa questão partidária.

Vergonhoso e lamentável comentário! Sempre me alinhei com os propósitos da esquerda mas nao com essa roubalheira. .. vc colocaria um ladrão pra administrar sua casa? Então apoiar e defender q administrem nosso pais é muito coetente!?! Não me representem… contem q foi parcial e votado com minoria essa nota absurda!

Estou estagnada com o posicionamento da maioria dos profissionais da vossa categoria, qual é mesmo a finalidade da vossa profissão; induzir as pessoas a um pensamento , uma decisão?
Ou levar as pessoas a encontrar em si as respostas e entender os seus conflitos.
Como administradora percebo que o atual governo conseguiu formatar a mente da maioria de vocês, a atual conjuntura dos fatos levam ao pensamento Marksista onde tira o direito da família de educadora e passa este direito para o estado. Como mãe sou totalmente contra este pensamento. Como cidadã respeito os direitos individuais de cada classe, mas não aceito que venha impor a mim e a minha família ideais que não faz parte da minha vivência. Também como cidadã, não aceito um governo corrupto, não aceito representantes corruptos, seja qual for o partido político, a mídia está relatando os acontecimentos e não induzido a população, a corrupção sempre existiu ? Sim, mas hoje temos um representante, um juiz que não se vendeu, uma equipe no STJ, MJ, PF…que não se rendeu a corrupção, não foram corrompidos, que estão lutando para que o nosso país continue democrático, os bilhões desviados, faz falta na saúde, educação etc.
O que me deixa muito preocupada, e que este governo, sorrateiramente está levando o nosso país ao pensamento comunista e as pessoas não estão se dando conta disso, gostaria de deixar aqui uma indicação de leitura, FORO SÃO PAULO, neste documento está todo o planejamento deste atual governo. Peço encarecidamente que não se prenda à uma classe ou um setor, mas que análise a situação do nosso país no todo.
Temos que apoiar o correto, de direito, não interessa se a pessoa A, B ou C que está errada, quem deve, independente de partido vai pagar, a população A, B ou C, já está cansada, saturada de tanto perecer.

Nayara Costa - 22/03/2016 12:40

O Conselho deveria ouvir os seus antes de se posicionar dessa forma. Não me senti representada!

Walmir Monteiro - 22/03/2016 13:55

Um dos motivos da categoria ter destronado a diretoria anterior do CFP foi a sua conduta petista e claramente partidária. A atual diretoria estava indo tão bem, e agora me aparece com a mesma prática da diretoria anterior. OS PSICÓLOGOS BRASILEIROS NÃO FORAM CONSULTADOS, portanto a nota não representa a Psicologia Brasileira. Não quero como psicólogo ser confundido com aqueles que se aliançam aos ladrões do PT. Fica muito feio para o CFP virar defensor de um governo tão sujo.

[...] Nota do Conselho Federal de Psicologia sobre o atual momento da conjuntura política e social brasil… [...]

Evandro Batista - 22/03/2016 15:52

“Post scriptum 1: Li um manifesto belíssimo defendendo a legalidade e a constitucionalidade do Estado Democrático de Direito…assinado pelo Conselho Federal dos Psicólogos. No primeiro momento, achei que era da OAB. Mas não era. Talvez no futuro tenhamos que contratar psicólogos (nos dois sentidos). Ou ler de novo a peça Henry VI, de Shakespeare, em que o personagem Dick afirma: Let’s kill all the lawyers. E eu acrescento: and call the psychologists.”

Essa é a visão do jurista, professor de direito constitucional e pós-doutor em Direito Lenio Luiz Streck sobre a nota do CFP.

É disso que se trata a nota: defender a legalidade, a constitucionalidade do Estado Democrático de Direito.

Podemos enganar algumas pessoas por algum tempo, mas não muitas pessoas por muito tempo! Vocês estão enganando ou sendo enganados?

Leonardo - 22/03/2016 17:22

VERGONHA.

Quem vcs representam?
Foi realizada uma consulta?

Zuleida Araujo - 22/03/2016 17:56

Compartilho com tudo que escreveu Marcia Munhos de Campos:A população está cansada de corrupção, como querem que sejamos cálidos nesse momento? Um surto esquizofrênico vcs tb acham que não pode ser sensacionalista? Direitos humanos não está ligado somente a mulheres, negros, indígenas, , jovens população de rua e LGBT. Direitos humanos como o próprio nome diz está associado a direitos Humanos, a TODOS os humanos de forma igualitária com equidade. Vcs esqueceram de listar pessoas com depressão, com síndrome de asperger, autistas, esquizofrênicos, transtornos de ansiedade, síndrome do pânico, pessoas feias, pessoas bonitas, pessoas pobres, mulheres gordas…e tantos outros que sofrem violência todos os dias pela sociedade.

TODAS AS MANIFESTAÇÕES TÊM SIDO EM DEFESA DA DEMOCRACIA E MAIS DO QUE ISSO, TEM SIDO UM ATO DEMOCRÁTICO, ONDE A POPULAÇÃO SE MANIFESTA, COM O PODER QUE DEVE EMANAR DO POVO. OU SERÁ SOMENTE LEGÍTIMA AS MANIFESTAÇÕES DE BANDEIRAS VERMELHAS. ???

Peço por mim e por diversos colegas psicólogos que partilham da minha opinião que esta manifestação do CRP seja revista. Afinal vivemos num país democrático , num estado democrático de direito.

Atenciosamente.

Marcia Munhos de Campos

ruy marcondes garcia - 22/03/2016 18:31

Meus mais sinceros cumprimentos pela coragem de seu posicionamento.

Rovena G. Tavares - 22/03/2016 20:04

Entidades empresariais e sociais, vem se posicionando com relação às investigações de corrupção no meio empresarial e tb com alguns dirigentes de nosso País. Na nossa classe temos uma formação e trabalhamos, com tanto respeito e ética no nosso cuidado com pessoas! Qdo percebi, não tão diretamente, mas nas entrelinhas, vcs querendo dizer que as investigações e os prejuízos causados a toda a populaçáo Brasileira, ficaria em segundo plano, porque: ” estariam desrespeitando às instituições democráticas consolidadas, historicamente”. Pensar que isto é desrespeito, depois de terem permitido quebrar a nação, desmanchado a Petrobras, por exemplo!!!! Existem leis anti corrupção! E não somos nós Brasileiros, que tanto falamos que neste país as leis não são cumpridas! Então, penso que vcs estariam melhor se posicionando pela Democracia, como fizeram,mas tb sobre a importancia das investigações, da transparencia, da justiça, mesmo nas ” instituições, segundo vcs consolidadas!!! Elas estariam sendo respeitadas se tivessem sido transparentes nas suas defesas, e os bens que são da Nação estivessem sendo investidos aqui. Vcs poderiam, ter aproveitado este momento para nos representar como profissionais da saúde, para trabalhar à favor da saúde mental ! Enqto foram defender, ” as instituições consolidadas”!!! Que se estivessem cosolidadas, limpas, lisentas, não teriam permitido este verdadeiro assalto!!!!

Daniela Nemmen da Silva - 22/03/2016 20:40

Eu nao autorizo o CFP a falar por mim nem por toda uma classe profissional! Ao se manifestar, e se posicionar politicamente, esta infringindo inclusive nosso codigo de etica! Exijo que esta nota seja retirada do site!

Daniela Nemmen da Silva
CRP 07/11939

Marly Alves Daolio - 22/03/2016 21:00

A mensagem divulgada por este conselho nao me representa.

Kaléo Leitholdt - 22/03/2016 22:53

Ótima nota (manifesto).
Naturalmente, há convicções em contrário, mas não se pode acreditar numa psicologia neutra, um saber neutro que nem sabão.
É tão escorregadio!

Rovena Tavares - 23/03/2016 1:17

Entidades empresariais e sociais,vem se posicionando com relação às investigações de corrupção no meio empresarial e tb com alguns dirigentes de nosso paīs. Nós Psicólogos, temos uma formação com bases no respeito, na ética e no cuidado com pessoas. Qdo percebi, não tão diretamente, mas nas entrelinhas vcs querendo dizer que as investigações e os prejuízos causados à toda a população Brasileira, ficaria em segundo plano, pq: “estariam desrespeitando as instituições democráticas consolidadas historicamente”. Pensar que isto é desrespeito, depois desta instituição ter permitido quebrar a nação, desmontar a Petrobras, por exemplo!! Agora, existem leis contra a corrupção em nosso País! E não somos nós Brasileiros, que tanto falamos que neste país as leis não são cumpridas! Então penso, que vcs estariam se posicionando muito bem, em favor da democracia, como fizeram, mas também sobre a importância, da transparência, da justiça, mesmo nas ” instituições, segundo vcs consolidadas “. Elas estariam sendo respeitadas se tivessem sido transparentes na sua defesa e se os bens que são da nação estivessem sendo investidos aqui! Vcs poderiam ter aproveitado esse momento para nos apresentar como profissionais empenhados e preocupados em manter a saúde emocional e o equilíbrio das pessoas. Enqto, no meu entender foram defender, as ” instituições consolidadas “, que se estivessem consolidadas, integras e isentas não teriam permitido esse verdadeiro assalto!!!!

Leila Hajj - 23/03/2016 6:59

Absurdo esse texto. Tendencioso, partidário, ultrapassou os limites da função de um conselho.
Não me sinto representada pelo CFP.

Leonor Brandão - 23/03/2016 13:59

Ao Conselho Federal de Psicologia

Eu nao autorizo o CFP a falar por mim nem por toda uma classe de psicólogos, não aceito ser representada por esta nota.
Me sinto envergonhada!
Leonor d’Ávila Brandão

Leonor d'Ávila Brandão - 23/03/2016 14:01

Eu nao autorizo o CFP a falar por mim, não aceito ser representada por esta nota.

Leonor d’Ávila Brandão

Yesmin Sarkis - 23/03/2016 14:46

A ética profissional nos mostra a importância da não declaração de posições políticas e religiosas. E tal importância é comprovada na experiência clínica.
Na conduta social não é diferente. Mesmo em momentos difíceis, pois é da nossa capacidade de pensar com algum grau de isenção pautada nos fatos da vida e evitando a contaminação dos partidarismos e passionalidades, que os que buscam por nossos serviços procuram. Psicólogos cuidam das qualidades democráticas a partir das próprias condições do livre pensar e do ir além das idéias conclusivas. Pois que lidamos todo o tempo com conflitos e convivemos com a forte necessidade diária de retirar deles o potencial inerente de desenvolver novos caminhos, novas perspectivas.
Portanto a declaração, ao meu ver, está comprometida em sua base . Não me parece que acrescenta ou enriquece a visão dos psicólogos nem da sociedade.
Gostaria que o Conselho considerasse a real necessidade de pronunciamentos que acirram as contendas, ao invés de ampliar perspectivas.
O que foi dito pelo conselho é o mesmo que se escuta em qualquer lugar público e midiático. Precisamos contribuir com consistências e caso não possamos, no momento, trazer nada que de fato ajude a resignificar os fatos, então melhor calar para pensar.

Maurício Camargo - 23/03/2016 15:41

Alguém aqui poderia contar o número de comentários favoráveis e desfavoráveis à essa nota?

Maurício Camargo - 23/03/2016 16:14

Sempre achei que os conselhos profissionais foram úteis quando as profissões precisavam ser protegidas. Hoje em dia a tendência no mundo todo é desregulamentar as profissões, pois, como diz um amigo, “a sociedade requer profissionais que resolvam questões que vão além do enquadramento profissional dado pelos conselhos profissionais (e pelas universidades!)”. Modelos profissionais pré-estabelecidos para mim causam atraso ao país. A consequência da regulamentação de profissões é que não se acaba nunca de discutir se um biólogo pode trabalhar com oceanografia, ou se tem que ser jornalista para escrever num jornal ou se um engenheiro pode dar aulas de matemática.
Portanto os conselhos são inúteis.
Vá lá, isso é pesado demais.
Então que os conselhos lutem, faça bem ou mal para o pais, pelos direitos dos seus afiliados.
Mas a última coisa que se espera de um conselho é que ele emita opiniões políticas, caso contrário ela assumirá que se transformou num braço político qualquer e perderá imediatamente a sua representatividade.
Isso é inaceitável!
Vejam quanta gente aqui é contra o posicionamento do conselho: é só analisar os comentários no texto original, fazendo uma busca rápida pelos termos “vergonha”, “não me representa” e “tendencioso”.
Deve haver algum outro conselho que apóia a prisão do Lula. Também estão errados.
Hoje em dia todos os conselhos são recantos políticos que têm como único objetivo buscar reserva de mercado para os seus afiliados, sem jamais pensarem se isso é bom ou ruim para o país.
Por isso eles são inúteis mesmo. Já foram úteis um dia, mas não são mais.
Que as entidades de classe lutem pelas suas classes, tudo bem, faça bem ou mal para o país, mas “condenar o papel manipulador da mídia”, é demais. Que mídia? Toda a mídia? Será que eles preferem a censura? Ainda bem que foi afirmado que são contra toda a forma de corrupção. Mesmo os corruptos dizem isso. “Processo que promove a consciência política do povo” para mim é educação, mas esse conselho, pelo jeito, e todos os outros, têm mais com que se preocupar do que lutar pela melhoria da qualidade dos cursos de graduação.

Fernanda Lemes - 23/03/2016 18:05

O conselho deve ser totalmente apartidário. Um conselho apartidário me representa.Gostaria que a nota fosse retirada se possível. Obrigada.

Isabela Cribari - 23/03/2016 21:38

Excelente pronunciamento. Orgulho total do meu conselho!! Me senti totalmente representada e fiquei com vontade de me aproximar mais do CFP. (Sou Psicóloga CRP 02)

Luciane Chaparro - 23/03/2016 23:00

Muito bom o texto e me sinto representada por este conselho!

Erik Xavier - 24/03/2016 11:04

b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas,religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais;

Camila Alves - 24/03/2016 13:19

“É papel do CFP tendenciar análises políticas? No meu pouco saber penso que o conselho teria um papel definitivo auxiliando na conciliação dos atritos gerados pelas escolhas, não manifestando apoio a lados.” !

Camila Alves - 24/03/2016 13:20

“O conselho deve ser totalmente apartidário. Um conselho apartidário me representa.Gostaria que a nota fosse retirada se possível. Obrigada.” !

Camila Alves - 24/03/2016 13:22

“A última coisa que se espera de um conselho é que ele emita opiniões políticas, caso contrário ela assumirá que se transformou num braço político qualquer e perderá imediatamente a sua representatividade.
Isso é inaceitável!”

Anete Ferreira - 24/03/2016 19:20

Foi com grande preocupação que li esse texto do Conselho. Como qualquer cidadão consciente e sensato, quero a democracia para o meu país e um governo que atue realmente para o bem estar do povo, mas não quero que o órgão que representa os psicólogos se posicione usando um discurso partidário, no caso petista. Deve ser essa a atuação de um psicólogo? O juramento que fiz ao me graduar Psicóloga, nada tinha a ver com o partidarismo desse texto. É lamentável.

Alexandre Marques - 24/03/2016 19:41

No Código de Ética dos Psicólogos (Res.10/05) fica expresso recomendação de que o psicólogo não deve impor a outrem seus posicionamentos ideológicos. Quando alguns motivados por suas filiações partidárias usam deste Conselho para defender suas posições pessoais e ainda levantando a bandeira do que chamam de “democracia” sem qualquer menção a questionar o que querem dizer com essa palavra estão a desrespeitar 1) aqueles profissionais que não concordam que um partido governe o Brasil; 2) aqueles que fazem da sua atuação em psicologia uma prática isenta e imparcial em concordância com o referido Código de Ética; 3) aqueles cidadãos que pensam que não pode haver democracia junto com corrupção e 4) aqueles que não se conformam em trocar direitos verdadeiros por migalhas de direitos com o rótulo de “justiça social”: políticas de “cotas” e de “bolsas”.
O CFP possui majoritariamente em seu quadro conhecidos defensores dos movimentos autonomeados de “esquerda” que no Brasil valorizaram historicamente o terrorismo dos grupos chamados de “resistência” pós-1964 e hoje mantêm atitude favorável às ditaduras de conhecida agressão aos direitos humanos em países como Cuba e Venezuela. Tais indivíduos que se consideram porta vozes da nossa categoria pouco fizeram até agora para defender os interesses de nossa profissão, que ainda não goza de inserção comercial decente, seja através de um plano de cargos e salários nacional, e tampouco de valorização por parte da sociedade. Este mesmo CFP jamais se posicionou diretamente contra a corrupção no Brasil seja em campanhas, protestos ou comunicados e por que exatamente agora quando a PF ameaça desarticular o maior esquema de corrupção brasileiro engendrado pelo Partido dos Trabalhadores, seus associados e apoiadores, põe-se a defender cegamente a chamada “democracia” petista?
Será preciso ter de lembrar a essa autarquia que o PT não inventou a democracia? Será preciso lembrar que política de cota não é justiça social? É preciso lembrar que “bolsa” não é renda?
Todos os partidos políticos serão responsabilizados ao final desse processo e terão que responder pelos crimes que organizaram. Não existe corrupção “boa”, seja do PT ou do PSDB. O Brasil tem que se colocado acima das preferências políticas do CRP e sua atuação tem que ser contra a corrupção seja agora ou no governo que virá depois.
Ao se colocar a favor do governo mais impopular de todos os tempos no Brasil o CRP se posiciona mais uma vez do lado equivocado da história.

Marcus Lima - 24/03/2016 19:46

Esta nota não me representa.

Luciana B. C. Oliveira - 24/03/2016 19:48

Parabéns CFP pelo pronunciamento, eu estava aguardando ansiosa. Com certeza não agradou a todos, mas vcs se reuniram para chegar nessa posiçao que estou em total acordo.

Giulio Gerosa - 24/03/2016 19:52

Ótimo posicionamento político e cognitivo , o CFP está mais uma vez de parabéns!

Josefina Martins - 24/03/2016 20:00

Não fui consultada para que o Conselho manifeste posicionamento politico sobre a atual situação de desgoverno em nosso Pais, portanto não me representa. Enquanto psicólogos acredito que nosso papel social nesse momento é de promoção de diálogos, de articular ferramentas possíveis de proteção àqueles que sofrem as consequências da corrupção e da violência de forma direta, de promoção do respeito ao direito do livre pensar e ser, não importa qual a crença que venha a ser defendida. Sou promotora da cultura da Paz e acredito verdadeiramente que um país livre é um país que tem suas instituições fortalecidas e atuantes. E para defendermos esses princípios, não podemos reduzir nossa participação social a vinculações partidárias. O CFP incorreu em postura antiética que em vez de promover a união por princípios, promove a divisão sectária entre a própria categoria. Lamentável , triste.

Esta nota não me representa. Gostaria de saber como um conselho federal, que deveria representar toda uma categoria no Brasil, emite uma nota em nome de todos, sem consultá-los? Quantas pessoas se reuniram para escrever isso? #indignada

Gostaria de registrar que nao cabe ao cfp dar a opinião de uns poucos em nome de muitos.
Lamentável e pretensioso para quem não tem como objeto de estudo a política e as leis.

Eugenia Correia - 24/03/2016 20:33

Parabenizo o posicionamento do CFP e bendigo a Democracia onde todos podem ‘reagir’… e se da democracia emana esse direito: de apontar e defender o que pensamos… quem estaria contra???

Wandeilton França - 24/03/2016 20:40

Considero que a análise da conjuntura atual realizada pelo Conselho foi extremamente apropriada. Como profissionais da Psicologia somos treinados para enxergar os fenômenos em perspectiva e não se deixar iludir pelas aparências.
Historicamente a Nação sofreu com casos de corrupção e somado a isto uma divisão de renda cruel, além de uma gritante falta de politicas para sanar os problemas gerados por esta desigualdade.
Não se pretende de forma alguma na nota defender qualquer ato inapropriado. A defesa é da DEMOCRACIA, do Estado de direito, do direito a defesa, da presunção de inocência, da imparcialidade da justiça e dos meios de comunicações.
Não é difícil observar que o discurso de boa parcela da mídia tornou-se panfletária e até alguns componentes do judiciário. Não tem como negar a seletividade em relação a divulgação das informações referentes ao processo em questão.
No ímpeto de se avançar no combate a corrupção não podemos abrir mão da ética e do estado democrático de direito.
E sim, é papel do conselho e de todos nos psicólogos posicionar-se em relação a situações de injustiças, de limitação de liberdades.
Orgulhoso do Conselho.

Maira Vitória Martinelli Alamini - 24/03/2016 20:51

Este pronunciamento definitivamente NÃO ME REPRESENTA…..

Anderson - 24/03/2016 20:52

Superficial demais, ideológico demais…se nem o meu conselho regional me representa, não me assusta o federal também fazer o mesmo. Por favor, faça-me o favor e vão estudar mais e sem ideologias.

Andréa Costa - 24/03/2016 21:43

Gostaria de saber quem autorizou o meu Conselho de Classe a se pronunciar politicamente em meu nome. O que li acima é, de forma sutil (só que não), o discurso repetido, repassado e batido do partido que promoveu o maior golpe de que se tem notícia na sociedade brasileira, com suas mentiras e trapaças, para surrupiar o poder de forma permanente. Dá até vergonha de ler um pronunciamento desse. Peço a gentileza de não mais falarem de política em meu nome. Aliás, desde quando esse é o papel do CFP?

Christine Liz Moeller Gabel - 24/03/2016 21:50

Sou psicóloga formada há exatos trinta anos.
Desde sempre observei o posicionamento político partidário deste Conselho.
Afirmo que esse não é e nunca foi meu posicionamento pessoal.

Alexandre Marques - 24/03/2016 22:00

Há muitos anos fiz o juramento de defender pessoas, mesmo que em detrimento de instituições. Hoje com horror vejo que este Conselho defende instituições, mesmo que em detrimento das pessoas. Não me representam!

Correções ao comentário anterior: *afiliações/*ser/*CFP

Enfim se esclarece para mim que o CFP está tomado de ideólogos simpatizantes do petismo, e se esclarece porque a Psicologia se transformou nos últimos anos numa travestida de Sociologia de orientação partidária.

Esse artigo demonstra que o CFP virou um Partidão Político e rasgou o códico de ética dos psicólogos.

Zila Marcondes - 24/03/2016 22:33

Fiquei com vergonha desse Conselho q com certeza não me representa. Tendencioso…. Lamentável.

Zila Marcondes - 24/03/2016 22:42

Esse Conselho não me representa!!! Texto tendencioso….. lamentavel

#esteconselhonaomerepresenta

[...] Conselho Federal de Psicologia [...]

Gislaine Machado - 25/03/2016 0:27

O CFP acaba de subir no palanque, ferindo o próprio código de ética. Decretando que somos todos incapazes de entender o que é democracia e ética. VERGONHA… num momento histórico, tão importante em que emerge a necessidade de um posionamento em favor do combate à corrupção. Que fique registrado este posionamento, pra que nós representados por estes atuais condutores do conselho (que nos exclui dessa decisão e, portanto feriu a democracia ) venhamos a não esquecer jamais está atuação. Vergonha… vergonha… vergonha…

Gislaine Machado - 25/03/2016 0:39

Não aceito ser representada pelas palavras deste conselho.

Gislaine Machado - 25/03/2016 0:49

Precisamos combater está atitude antietica… nas redes sociais. Não ao posicionamento político dos Psicólogos enquanto categoria.

Não concordo. Não houve neutralidade, houve uma análise parcial e ainda coloca a mídia como sensacionalista no geral. Cabe ao STF julgar se houve parcialidade, não ao CFP. Muitas fatos estão vindo à tona e esta nota diz nas entrelinhas que não deve-se dar ouvidos, pois julgamentos estão sendo parciais e a mídia, manipuladora. E, atente-se ao conteúdo que ainda diz que o povo está sofrendo um golpe. Ora, se a mídia convulsiona a sociedade, existe uma outra mídia “incitando” que estamos a beira de um golpe. Não há convulsão social, há uma sociedade que não aceita ser conivente com a corrupção de seus líderes independentemente do partido. O interessante é que muitos têm dito: mas por que não julgam também o fulano que está envolvido em corrupção? Soa como algo do tipo “se não vão julgar a todos, não julguem ninguém”. O CFP também deve tomar cuidado com estas notas, por serem formadores de opinião. Algum de nossos pacientes podem ler estas notas e dizer: ” Ah, então vocês são todos de esquerda?”. Mais neutralidade em determinados assuntos, CFP, pois ouvi muitas destas palavras saírem da boca de nossa “presidenta”, e desmentidas pela vice presidente do STF, Carmen Lucia.
Boa noite.

Gislaine Machado - 25/03/2016 1:37

Exijo que este Conselho retire está nota de posionamento político, que fere o código de ética ao qual, enquanto profissional psicóloga estamos sujeitos. Esta posição não me representa. Se vão arcar com as consegue rasgar o Código de ética diante de nós psicólogos, são também responsáveis por dar início a um processo de corrupção dentro do próprio CFP. Me recuso a fazer parte disso.

Ah, somente para complementar. Vocês poderiam colocar uma nota de repúdio e tomar alguma atitude quanto aos sites que “destrincham” todo o conteúdo de um teste psicológico? Pois existem vários destes no ar, fazendo com que nosso trabalho seja tratado de forma jocosa. Além de alguns livros, entre eles um que “ensina” a interpretar o HTP. Recentemente um paciente me disse durante a aplicação deste, que deveria colocar um determinado detalhe no desenho, pois havia visto na internet. Vamos lutar pela ciência, CFP, ao invés de tomar partido.

Gislaine Machado - 25/03/2016 1:53

“Desce do palanque CFP, não rasguem nosso código de ética”

Otávio de Abreu Leite - 25/03/2016 2:03

Como se pode observar pelos comentários de grande parte dos colegas psicólogos, a Nota do CFP não representa os psicólogos do Brasil. O CFP deveria, antes de tomar uma posição partidária, criticando as instituições, em especial a Justiça Brasileira, cumprir a própria legislação que o regulamenta – onde expressamente proíbe o Conselho tomar posições políticas ou religiosas. Com que autoridade o CFP pode falar em cumprir a lei e respeitar direitos se ele próprio não as cumpre? A referida Nota é um equívoco lamentável! Tomando uma posição claramente a favor de um partido político, utilizando os seus argumentos e jargões, como se tivesse cumprindo a cartilha padronizada pelo seus líderes – é o mesmo discurso que estamos cansados de ouvir dos defensores desse caos denominado governo – o Conselho Federal presta um desserviço à Nação Brasileira e, ainda mais, à categoria dos psicólogos. Com que segurança e confiança nossos clientes procurarão nossos serviços profissionais quando nossa representação maior se deixa levar pela paixão partidária, deixando em suspeição sua posição profissional, científica e isenta de desvios dogmáticos? Finalmente, quero deixar claro que a posição do CFP expressada na Nota referida não me representa. A Justiça Brasileira continua funcionando bem e de forma isenta. Temos uma Suprema Corte que nos garante o cumprimento das normas constitucionais. E este atual governo – desastrado, corrupto e incompetente – pode recorrer ao STF de tudo que se sentir injustiçado, pois estamos em um Estado Democrático de Direito, com a imprensa livre como deve ser. Não defendemos nenhum partido político e nem idolatramos personalidades – queremos um Brasil livre de corrupção com pessoas decentes, honestas e produtivas ocupando os cargos de direção.

Cristiana Braga - 25/03/2016 9:03

Este modelo mental não me representa e não poderia ser postado como se fosse a convicção de TODOS os psicólogos, de toda uma classe. Gostaria que retirassem!!! Religião cada um tem a sua, convicção política cada um tem a sua, time de futebol cada um tem o seu, portanto não fale por mim ou por uma classe inteira, faça uma votação e coloque o percentual q pensa como você e o percentual que pensa diferente!!!

João Garcia de Campos - 25/03/2016 9:06

CFP deveria acrescentar /PT em sua sigla, ou seja CFP/PT. Como pode ser aliado de um governo que compra parcerias? E…. nada faz pelo Brasil a não ser se preocupar com a forma e não com o conteúdo das ações judiciais que envolvem o governo do PT, desde o primeiro mandato de Lula. Ele e Ela não sabem e não viram nada, tudo é de amigos e o CPF engole tudo isso? Realmente não me representa, como não representa a grande maioria dos brasileiros não pelegos. Esta defesa da democracia é uma deslavada racionalização. Sabem o que é isso? Adotem outra postura já que não querem reconhecer o óbvio, sejam apolíticos, fiquem em cima do muro! É ridícula esta postura, mas é melhor que apoiar este partido que mentem descaradamente, descaradamente mesmo.

Thiago Coelho - 25/03/2016 9:58

Que nota absurda e tendenciosa. Um conselho federal não deveria se prestar à esse papel.

Cristina Marghieri - 25/03/2016 10:15

Envergonhada, enojada e em choque ao ler está “nota” do Conselho… está “nota” NÃO representa a Classe dos Psicólogos. Como pode um Órgão Federal como está achar que todo o movimento que acontece é contrário a democracia? Como pode acreditar que todas as manifestações e investigações são ações de ‘golpistas’? Golpe é quando a Justiça traz provas e argumentos baseados em uma Constituição e em Códigos que representam as Leis do País e estes são nevados, escrachados, escondidos e desconsiderados como se tudo fosse mentira para que tudo permaneça do jeito que está. Isso é golpe! Golpe é quando a imprensa apresenta às pessoas informações fundamentadas na legitimidade fazendo-as pensar (e, logo, dando poder de escolha) e é tratada como ‘manipuladora e mentirosa’ para que tais gatos não sejam divulgados (aliás o nome disso é CENSURA). Portanto, se existe alguém que é totalmente golpista é o atual governo que nega a Justiça (afirmando que é injusta e mentirosa) e censura a Mídia (dizendo ser imparcial e manipulada pela oposição) para continuar no poder roubando os cofres públicos, destruindo a economia, afundando o país através da manutenção da ignorância do povo.
E faço questão que os autores desta ‘nota’ do Conselho estejam cientes que está chapa nunca mais vai ter meu voto e farei questão absoluta de fazer campanha contra esses que “acham” que têm o poder de falar por todos sem consultar a classe.

Elen Ribeiro - 25/03/2016 11:43

Vivemos uma Democracia! Já foi o tempo no qual não podíamos nos posicionar! Parabéns ao CFP pelo posicionamento pró Democracia e Estado de Direito! Não vejo a nota como apologia a qualquer partido e sim reconhecendo a estrutura corrupta e partidária em diversos segmentos do nosso país!

Camila Marcondes - 25/03/2016 11:44

O conselho não pode escrever texto tendencioso para qualquer partido. Isso não me representa. Vocês não podem falar por todos. Isso é um absurdo.

Ana Cristina Corvelo - 25/03/2016 12:00

Como psicóloga atuante e em dia com meu compromisso com os CFP e CRP, espero a retirada imediata de circulação deste pronunciamento, por violar o Estatuto que o criou como uma entidade apartidária. O pronunciamento contem expressões partidárias, se diz protetor de direitos de minorias e grupos sociais específicos, quando a Psicologia atua para todos os seres humanos, sem exceção. Um pronunciamento com boas intenções, mas que infelizmente fere as leis de uma ordem amorosa e livre de existência social, para a qual foi criado o CFP. Ana Cristina Corvelo – CRP 06/8319

Rosa Maria Poleto - 25/03/2016 12:29

O comentário foi muito bem escrito. Somente as pessoas que leem com cuidado e que estão de fato acompanhando o processo pelo qual vem passando o Brasil desde a época da ditadura, reformas neoliberais com a grande exclusão resultante, até as tentativas de promoção de uma maior distribuição de rendas e inclusão social – que qualquer país desenvolvido já teve de encarar – é que vai entender a importância de não se deixar levar por informações superficiais, sem uma análise mais profunda, porque sei, dá trabalho e nem sempre queremos avançar em leituras. Mas é preciso. Parabéns CFP!! Não me sinto sozinha em minhas considerações. Obrigada pela publicação.

Thiago Augusto - 25/03/2016 12:29

Conselho Federal com um discurso unilateral apontando uma tendência Lulopetista. Pensei que fossem mais imparciais pensando na atual conjuntura da gestão pública que possui implicações as causas pelas minorias como aponta o CFP. Como falar de Estado democrático de direito onde uma eleição foi usada dinheiro ilícito para campanha? Isso não foi um atentado ao Estado democrático de direito?

Claudette Yedid Baroukh - 25/03/2016 14:07

O CRP não representa minha opinião a respeito da situação atual no Brasil.
Não se pode generalizar toda a imprensa, todos que vestem verde amarelo, vermelho, azul, golpistas, contra golpistas. Polarizar não é a solução. Incluir e respeitar as diferenças, pode ser um caminho melhor.

araceli romano de mello - 25/03/2016 14:30

Muito imprudente o Conselho defender uma posição, não é nosso papel doutrinar ninguém. Se defendemos a democracia, devemos respeitar as diferenças, começando pelo nosso conselho. Não me sinto representada por vocês e acho perigosas suas manifestações incluindo nelas todos os que fazemos o conselho.Uma coisa é que como pessoas, todos devemos ter uma posição política e outra, muito diferente é se apropriar da voz dos profissionais que fazemos parte desse conselho, muitas vezes discordando do que é feito pelas “autoridades atuais” Lamentável!!!

Vivian Erika - 25/03/2016 15:00

Refleti sobre a nota que o conselho emitiu, sobre o atual cenário político o qual estamos enfrentando, sobre as dezenas de opiniões aqui expressadas, e sobre uma história que democratizou nosso país… Não vejo que o conselho “aqui” tenha se manifestado contrario aos interesses popular e igualitário, tão pouco tenha deixado de representar os profissionais da classe… Como deixar de expressar uma opinião com peso político se fazemos política o tempo todo( fazer politica não é levantar bandeira partidária)… Como exigir direito de expressão, direito de imprensa, e se posicionar contra uma censura se na mesma frase lemos ” EXIJO QUE ESSA NOTA SEJA RETIRADA”. Veja quanta incoerência aqui manifestada. O conselho expressou seu posicionamento, do mesmo modo que todos nos estamos expressando, exigir a retirada dessa nota, é tão repressor quanto o a própria censura. E sejamos coerentes… Não há em momento algum levante partidário. O conselho esta sendo claro, quando se coloca contrário a “corrupção e a justiça seletiva, parcial e partidarizada”. O fato de haver divergência de opiniões entre os profissionais de uma mesma classe, não nos coloca de lados opostos. Só nos permite maior reflexão sobre os “fatos”.
O conselho me representou claramente com seu posicionamento.

Os ingênuos fazem parte da cadeia alimentar dos maus intencionados.

Elza Aparecida Calleja - 25/03/2016 16:10

Estou representada por esta nota.

Paulo Bretas Vilarinho Junior - 25/03/2016 16:25

Parabéns ao CFP! Por não se deixar contaminar pela MIDIOTIA, INDIGNAÇÃO SELETIVA e COVARDIA reinantes. Numa época de “meritocratas” sem mérito e de moralistas sem moral, ter coragem de afrontar a “autoridade” do senso comum midiático é motivo de aplausos. Sugiro também que se aproveite algumas pérolas proferidas nos comentários para um novo módulo do Orienta Psi: Código de Ética!

Carliene Freitas da Silva - 25/03/2016 16:48

Somos influenciados pelo contexto político e historicamente vivendo este período. Importante nossa categoria se posicionar frente ao cenário de corrupção, busca pelo poder e a manutenção nele, independente de mencionar posição partidária. A emissão da opinião demonstra que ainda estamos num país democrático.

Marina Boccalandro - 25/03/2016 18:20

O CRF deve ser totalmente apartidário. A nota expedida por vocês não me representa, pois sou contra um conselho de classe ser tendencioso politicamente. Gostaria de ter sido consultada antes de soltarem esse posicionamento, porque não não me representa e nem de muitos dos meus colegas de profissão com os quais convivo,

Não autorizado o CFP a falar por mim, não fui consultada e não concordo com as colocações da nota.
Peço que retirem está nota com posicionamento totalmente partidário!

Sonia costa - 25/03/2016 18:57

Quanta pretensão. Ainda bem que representantes de entidades de classe, especialmente esta, estão, quase sempre, bem distantes da prática clínica. Devem entender menos ainda de psicologia. Sorte dos pacientes.

Naida Borges - 25/03/2016 19:52

Esse conselho não me representa! Texto absolutamente tendencioso.
Deveria se pronunciar, porém de forma imparcial e apartidária contra todo e qualquer deslize, crime de lesa pátria que possa vir a manchar a imagem de nosso país, e nos impedir de atingir uma democracia plena e sair da estatística de país com as maiores diferenças e desigualdades.
Preocupe-se e aja mais como órgão de classe, investigando e punindo profissionais de várias áreas, como médicos não psiquiatras, fonoaudiólogos e outros, atuando como psicoterapeutas. Siga o exemplo do conselho que representa a classe médica, protegendo seus profissionais com rigor contra o exercício ilegal da profissão.

Hélio Pacheco de Gusmão e Silva - 25/03/2016 20:16

O CFP está de parabéns! Não só pelo posicionamento, mas também, pela transparência, honestidade para conosco e segurança de publicar os comentários contrários.
Apesar dos esforços de todas gestões do CFP, observamos que os comentários de alguns colegas evidenciam desconhecimento do seu papel na sociedade, e até de questões relacionadas ao nosso código de ética.
Hélio Pacheco.

Jan Mozol - 25/03/2016 21:12

Ridículo um conselho se politizar,mais ainda defender meias verdades.
Sob o manto dos politicamente corretos e da defesa das minorias associando-as a um sistema socialista se faz a defesa do indefensável…Por favor leiam seu proprio estatuto…não a politização,retirem antes que seja tarde…

Rodinele - 25/03/2016 21:24

É interessante ver que mesmo no campo psi há quem consiga apenas ver “o bem” contra “o mal”. Lamentável esta postura, louvável a nota.

Kátia de Souza Faria Costa - 25/03/2016 21:36

Me sinto representada, adorei a postura do CFP. Lamento a postura facista de alguns psicólogos exaltados, não vi partidarismo, temos que defender a democracia. Ela é nossa, por tanto temos que defendê-la sim. Democracia é isso, cada fala o que quer. Viva o Brasil, viva a democracia!

Nidia Reboucas - 26/03/2016 1:07

Nota tendenciosa que nao me representa, ja que carece de etica!

Marcelo Vilela - 26/03/2016 9:19

O Conselho tem que ser apartidário, hoje infelizmente nenhum partido realmente representa o povo, tanto direita como a esquerda são corruptos…a mídia é sensacionalista assim como este atual governo que tenta de modo chulo ficar no poder dando golpes na população. ..fico triste ao ver o Conselho e tantos colegas de profissão defenderem mesmo que mascaradamente um governo corrupto e perverso deste..seria justo o CFP nem ter se manifestado desta maneira tão partidária.

Paulo Amadeu - 26/03/2016 10:29

Um dado psicológico significativo, que a Psicologia Social demonstra, é que a ideologia tende a se converter em um tipo de paixão, exercendo o papel de subtrair dados significantes da realidade. É quando a ideologia se degenera em algo próximo da paixão ou religião.
Este texto do CFP parece refletir um casamento entre a autarquia política que deveria ser a voz da classe profissional da psicologia brasileira e a esquerda universitária paulista. Este casamento, que já comemora bodas, tem gerado filhos que não se vergam ao princípio norteador do código de ética. É este tipo de texto, presumidamente isento de partidarização, que oferece sustentação ao projeto político populista, que engendrou uma farsa, embora incensado à condição de mito, com a elevação de um novo “pai dos pobres” – “uma caricatura de Vargas, com mais dinheiro e menos ideias”, como escreveu hoje um jornalista.
Este texto do CFP não tem o respeito de significativa parcela da população brasileira, que também é “povo” e que também vai às ruas.
Como todo psicólogo deve saber, a realidade não se captura apenas pelo discurso. O discurso é expressão simbólica. E, definitivamente, mais do que princípios presumidamente éticos e isentos, o que se tem neste texto é uma voz parcial e politicamente partidária. No discurso parece “politicamente correto”, mas não é.

Cristina Simões - 26/03/2016 12:35

Como já foi dito em inúmeros comentários anteriores estou extremamente contrariada com a posição partidária do Conselho que não me representa e pelo visto não representa uma boa parte dos psicólogos. Me preocupa muito ver profissionais que provavelmente tiveram acesso a alguma instrução serem tão cegos diante dos fatos. Então..o que esperar daqueles que mal sabem ler??? Deve ser este o motivo deste governo estar no poder até hoje.

CRISTIANA SILVEIRA JOBIM SOUZA - 26/03/2016 13:26

achei a nota absurda, desprovida de sentido, verborreia, demonstra falta de conhecimento politico e jurídico, não consegue nem estabelecer, ao certo, o que é democracia. Acho que deveria ficar apartidária, ja que náo sabe sobre o que fala, não deve falar em nome de pessoas que náo foram consultadas, esta opinião não me representa.

Antonio Ricardo Teixeira - 26/03/2016 16:05

Li a nota e vários comentários, prós e contras. Acho que conseguiram pôr em evidência a divisão da nossa sociedade. Lamentável ver que o Conselho Federal também foi aparelhado pelo PT. Lamentaria da mesma forma se fosse qualquer outro partido de direita, centro ou esquerda. Vocês não estão aí para fazer política partidária, contribuindo ainda mais para uma sociedade cheia de sectarismos. Penso que o nosso desafio como psicólogos é desmistificar os sistemas de crenças e levar o indivíduo e a sociedade a pensar de forma mais abrangente e integradora, para o bem comum. Não é fazer política partidária.

Aos que estão criticando o CFP pela nota recomendo uma aula de interpretação e que deixe o ódio de lado, em nenhum momento o CFP tomou lado político, pelo contrário, defendeu a população que está sofrendo devido a essa guerra entre dois partidos que são farinha do mesmo saco. Vamos estudar, meu povo!

Rosangela Porfirio Bastos - 26/03/2016 20:12

Perfeito, concordo plenamente. Devemos nos posicionar na defesa do Estado Democrático e da legalidade.

Marilu Goulart - 26/03/2016 22:36

Me representa. Parabéns a este conselho !!!
Pela coragem de se posicionar mesmo sabendo que muitos são contrários, seja por desconhecimento da história, seja por achar que a psicologia é privilégio das elites.
Percebo um posicionamento apartidário no sentido de apoio à constitucionalidade.
Com certeza não votarei no PT nas próximas eleições. mas esperarei sem querer nenhum atalho
Quanto à neutralidade que estão cobrando:
Não existe neutralidade, a imprensa disfarça isto muito mal!!!
É melhor o posicionamento claro e sem disfarces para que o espaço de discussão e críticas se estabeleça.
A GLOBO deveria aprender um pouco disto…e outros também…

Pedro Antônio Carvalho - 27/03/2016 16:39

Faço das palavras do conselho as minhas. Perfeito!!!!

jesia albuquerque barbosa - 27/03/2016 17:12

É com profunda tristeza que leio um posicionamento tão infeliz , assim considero,como este feito pelo Conselho. Só resta-me umas perguntas , o Conselho está a serviço de quem?Está enganado ou quer enganar? Está aplaudindo a falência do país ou na defesa de interesses pouco republicano? Algo preciso deixar claro, tal pensamento não me representa . Sinto vergonha!

Leandro Azeredo de Brito - 27/03/2016 18:28

Parabéns pela coragem e pela lucidez no posicionamento! Me sinto satisfeito e plenamente representado !

Leandro Azeredo de Brito - 27/03/2016 18:29

Parabéns pela coragem no posicionamento! Me sinto satisfeito e plenamente representado !

[...] Conselho Federal de Psicologia [...]

MARIA ANGELA DA CUNHA ISOPPO - 27/03/2016 19:02

Gostaria que esta nota fosse cancelada, retirada. Texto tendencioso, não reflete o desejo de todos. Por favor, o CFP, tem a obrigação de colocar-se como um conselho apartidário. Repudio qualquer manifestação partidária. RECUSO, Esta manifestação não me representa.

luis otavio baddini - 28/03/2016 7:34

A CFP Deveria gastar seu tempo fazendo sua função…. Que absurdo esse posicionamento…. Vai ganhar o desrespeito de muita gente….

Concordo por partes, a corrupção existe desde muito tempo. Vamos usar nosso senso crítico e buscar no passado a raiz dessa imensa árvore que se apresenta. Em meio a esse turbilhão de informações e por vezes busca de defesa de interesses pessoais seja por parte da mídia, dos nossos políticos seja lá qual partido for ou alguns membros do judiciário, nosso povo está carente de esperança. É aqui que devemos focar!

Quanto ao comentário da colega sobre pessoas com deficiência, no que trata o item do manifesto onde menciona gêneros, concordo plenamente e justifico que até hoje das indagações que efetuei jamais obtive resposta. Ou seja, pensamos, mas não existimos, ou então existimos e somos considerados “pessoas comuns”. Sendo que nossos direitos não nos são dados, apenas nossos deveres nos é cobrado.

Fátima Ramalho - 28/03/2016 11:47

É lamentável a posição do meu Conselho.

Jairo Luis Brod - 28/03/2016 13:10

Os posicionamentos do Conselho Federal de Psicologia vêm se pautando pelo equilíbrio, lucidez e senso de justiça. Cada pronunciamento do órgão sobre temas candentes que envolvem a conjuntura política e a vida em sociedade são libelos contra a opressão e o obscurantismo. Eles demarcam a trilha que cada psicólogo e cada cidadão deve tomar para propiciar a si, aos seus e à sociedade em geral não só melhores condições de sanidade física e mental, mas, sobretudo, a opção de quais valores a coletividade deve cultuar em favor da manutenção do Estado Democrático de Direito. Com esses gestos, o CFP se alça á justa condição das entidades, tais como a OAB, a ABI e a CNBBm com as quais a coletividade conta para a defesa de suas prerrogativas constitucionais e de seus direitos individuais e coletivos. Com um porém: mais do que a própria OAB – quem diria! -, o Conselho vem se transformando num porta-voz confiável na salvaguarda dessas atribuições fundamentais.

sterfane Figueiredo de Oliveira Guimarães - 28/03/2016 13:38

Parabéns CFP pela coragem! me sinto representada; finalmente o nosso posicionamento diante deste absurdo espetáculo midiático. Infelizmente a falta de informação e alienação de alguns pessoas as impedem de ver o estado de golpe que se paira neste país.

Jorge Emanuel - 28/03/2016 14:21

Vergonhoso! O Conselho está defendendo o governo do PT! Está tomando partido! Sou a favor da Democracia e contra a Corrupção! O Conselho não pode ser tendencioso !

Esta nota é um equívoco terrível que o CFP cometeu, ignorando nosso Código de Ética, ignorando a heterogeneidade de posicionamentos possíveis dos profissionais Psis, ignorando os limites de sua competência!!! Um vexame. Não me representa!!!!
Tenho arrepios de pensar o rumo que esse posicionamento tendencioso e absolutista, que enuncia como se representasse “A” Verdade da Psicologia – posicionamento tomado a partir de uma leitura dos dados midiáticos, circulados por essa mesma Mídia (polifônica e heterogênea) que essa nota critica (sim, pois as informações sigilosas dos autos, como sabemos, só virão à tona em seu devido tempo…) – formador de opiniões, manjedoura de identificações, poderá promover.

Democracia é direito de todos os cidadãos brasileiros, e em nome dela, luto contra a corrupção e contra a má gestão do dinheiro público. Nossos impostos devem ser usados com responsabilidade por todo e qualquer governante, é o nosso sangue que vai embora a cada embolsada dessas manobras políticas que beneficiam esses gestores corruptos.

Penso que nós, psicólogos, em nossa ética e em nossa política (a-partidária!), devemos acolher o sujeito que sofre, sua singularidade, sua subjetividade, seu mal estar em viver na civilização, acolher a polissemia da vida.

Renata Werthmann - 28/03/2016 15:56

O CFP pode falar por si. É um conselho, uma autarquia, com seus membros em número definido, nos termos da lei. Mas excede quando sugere que fala por toda a “categoria profissional”, pois não a consultou. A opção por fazê-lo, num momento em que a própria sociedade e a categoria (como se vê claramente neste fórum) não é unânime, é em si mesmo um ato arbitrário e seletivo, e, em seu contexto, tendencioso. Ainda mais quando se argumenta que “sem a participação de todas as pessoas, de modo igualitário e equânime em seus âmbitos de inserção social, não é possível promover dignidade de vida e justiça social”. Não é uma contradição clara?
O texto já assume como pressuposição de que tem havido, no atual momento da conjuntura política e social brasileira, “violações e desrespeitos às instituições democráticas”, mas não diz quais. Fala de “justiça seletiva, parcial e partidarizada”, mas não aponta quais. Fala de “captura de direitos civis básicos” pela justiça, de “criminalização e promoção de julgamentos públicos em casos em que processos jurídicos sequer foram abertos”, mas não diz quais. Fala de “tentativas de rupturas com Estado Democrático de Direito”, mas não diz quais. Fala de “movimentos em direção a um Estado Policial”, mas não diz quais. Fala de “manipulações da mídia”, mas não diz quais e por quem. Fala de “provocações de convulsões sociais”, mas não diz quais e nem como. Fala de “descontrole nas manifestações sociais”, mas não aponta em quais. Fala que “o povo brasileiro” está sendo “golpeado ou enganado em suas principais demandas”, mas não diz como e por quem. Sugere que o “combate à corrupção” tem sido “sensacionalista”, mas não aponta dados. Fala em “ilegalidades”, mas não aponta quais. Fala de parcialidade nas punições, mas não aponta evidências. E por fim, procura fazer a defesa dos diversos segmentos, mas “não sai do armário”.
Enfim, o texto é desprovido de materialidade, e, repete o erro básico que procura condenar. É um texto pusilânime. E a razão é simples: Se fossem apresentadas a esperadas “materialidades”, quedaria evidente a parcialidade política do CFP. Evidente no texto, pois no contexto não resta dúvida alguma.
Este texto é um atentado ao Código de Ética. E, se é assim, não expressa aquilo que seria mais afirmativo nesta nota, a saber: “Reafirmamos nossa confiança nas instâncias republicanas e nossa luta sempre em favor do fortalecimento da democracia”. Não se afirma a democracia quando uma classe não é consultada para manifestar opinião que diz respeito ao curso político de um país em grave crise política, e se pretende falar em nome dela. E não se fortalece a instância republicana quando não se oferece materialidade ao libelo, e quando não se respeita, pela evidência de contexto, as suas próprias leis.

Giovana Arruda - 28/03/2016 17:22

Repúdio essa nota do Conselho. LAMENTÁVEL, um conselho que deveria representar uma categoria profissional….estar abertamente utilizando esse espaço……para apoiar esse GOVERNO CORRUPTO. O conselho não pode falar por todos os profissionais….que mantém suas convicções e posicionamento distintos. Senhor……me envergonho de vocês…com esse discurso clichê de petista……acusando a mídia..quando os fatos estão aí para todos verem…Que país é esse ????O que vcs entendem de Democracia???faz me rir…..não percebem a quantidade de pessoas..nas ruas….clamando pelo fim disso. Apoiando um partido que só teve como proposta se manter no poder. Deixem as instituições trabalharem em paz……saem do caminho…..da Nação!!!!

Maria Francisca Andrade - 28/03/2016 17:28

Parabéns ao CFP pelo posicionamento a favor da democracia e do Estado de direito, que foi instituído(a) nesse País à custa de suor e sangue de muitos lutadores que não se acovardaram. Não podemos ser a favor do retrocesso!Me sinto muito bem representada.

José Paulo Bogossian - 28/03/2016 17:33

O CFP fere o bom senso e demonstra visão míope diante da real situação do Brasil. Lugar de ladrão é na cadeia. A declaração não representa a minha opinião nem dos colegas que convivo. Pesames.

Alexandre Marques - 28/03/2016 17:49

Os psicólogos que defendem a nota do CFP chamam de democracia um governo que saqueou o povo brasileiro e ainda querem que o povo aceite calado porque foi o povo que votou!

Concordo que a corrupção não é exclusiva do PT, só tem um detalhe: não são os outros partidos que estão na presidência.

Se vocês acham que “bolsa família” é inclusão social fiquem sabendo que o povo não aceita mais pão e circo.

Inclusão social é emprego e salário decentes…

O CFP divulgou alguma nota de indignação pela operação fraudulenta em Pasadena? Ou pelo rombo fiscal de mais de 96 bilhões de Reais?

Que grande medida o CFP está adotando pra combater a corrupção no governo atual? Simples: uma nota de apoio à democracia e abaixo a ditadura! rsrs um papagaio seria mais criativo!!!

O CFP deveria tomar uma atitude política de combater o preconceito, em vez disso lança uma nota que só repete a versão do governo e chama de “golpe” a vontade de quase 70% da população que está insatisfeita.

Se o CFP também não consegue respeitar a vontade dos psicólogos que não foram consultados para esta nota então devemos também exigir uma retratação deste Conselho que não nos representa.

Creio, como se observa nos comentários, que o CFP não está representando os seus associados com esta nota. Acredito que seria o papel do conselho, realizar reflexões sobre a polarização e o maior interesse das pessoas, ultimamente, sobre a política. Entre os juristas, não é consenso se houve ataque ou não ao Estado democrático de Direito, por que nós na qualidade de psicólogos devemos tecer posição a respeito, quando o que se nota são divergências entre as diversas classes, categorias e também entre os profissionais deste conselho de classe?
Trata-se de um tema que eu sugiro deixarmos para eles (do Direito) discutirem entre eles, enquanto nós, psicólogos, podemos propor reflexões sobre a importância de se envolver com a realidade social e politica do país, abordando o lado democrático das manifestações, bem como alguns pensamentos rudimentares e primitivos que infelizmente vimos nas duas manifestações, contra e pró governo.
Creio que o Direito não poderia se envolver em nossas decisões, como o fez ao vetar a resolução do CFP 10/2010 sobre escuta de crianças, tampouco seria sensato a nós, neste momento “julgar” decisões judiciais que ainda estão em andamento e muita coisa à tona ainda está por vir. Na qualidade de Conselho de classe, sugiro que se atentem a estes temas e cuidados, para não correr o risco de reproduzir ideologias de um lado ou de outro. É o que eu e muitos colegas acima almejam deste conselho.
Grato.

Por que muitos comentários postados por alguns colegas não foram incluídos?

Seria a tarja “O seu comentário será verificado pela moderação” uma espécie de censura daqueles que nesta nota tanto criticam a imprensa? Ou a censura vale apenas para os comentários que atendem aos interesses políticos do CFP ???

Sinceramente fiquei chocado ao verificar que após me manifestar na parte de comentários, apareceu está mensagem, sendo que colegas meus me alertaram de que alguns comentários foram excluídos.

Deprimente ter que passar pela moderação, nenhum site de jornalismo faz isso, Folha de São Paulo, globo, entre outros … por que o CFP produziria censura???

Elza Ibrahim - 28/03/2016 23:13

Apoio com orgulho a nota do CFP!

Elza Ibrahim - 28/03/2016 23:15

Apoio, com orgulho, a nota do CFP.

Amarildo Serafim - 29/03/2016 3:32

Tenho certeza que cada psicólogo e psicóloga do Brasil é maduro o suficiente para entender a grandeza e a urgência do momento que passamos e como cidadão formular sua postura pessoal a respeito do quadro politico-administrativo atual. Assim sendo, não cabe ao CFP extrapolar o limite de suas funções e formular uma opinião em nome de todos os psicólogos desrespeitando as particularidades e subjetividades de cada um de nós nesse processo democrático convulso. Esperava um mais sensatez e menos partidarismo do CFP numa hora como essa em que a sociedade deveria esperar de nós uma atitude decente e coerente no sentido de amenizar a crise e as tensões, não contribuir para o seu acirramento. Está nota do CFP é tendenciosa, partidarista e não colabora em nada para o papel que se espera do CFP num momento de crise como o atual. Está nota não me representa!

Marta Seider - 29/03/2016 4:04

A desobediência ao artigo 85 do Regimento Interno do CFP (vide:http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2000/12/resolucao2000_17.pdf) por essa diretoria que hora afronta a própria legislação do Conselho, já é suficiente para pedir a cabeça desse grupo de bandidos (que estão distribuídos em TODOS os partidos) em posições estratégicas e que se empossaram do poder vertical e transversalmente em todo Estado, inclusive nos conselhos desrespeitando toda uma classe que longe está do consenso em relação ao tema, fato facilmente verificado com a simples leitura dos comentários acima, que demonstram uma polarização acirrada sobre o assunto.

Sonia Aparecida Mazoni Marques - 29/03/2016 7:29

Estou me sentindo bem representada por este conselho que vem a público manifestar contra este atentado à democracia e ao Estado de direito. Isto é um golpe mediático e seletista.

alfredo trece martins - 29/03/2016 9:21

Entendo que a artimanha do governo em se escudar no tema “golpe” só serve para denominar sua atitude, uma vez que golpe escuda aqueles que estão agindo fora da lei, isto é,ferindo e desrespeitando a lei maior que é a Constituição ao proceder conforme estão procedendo,parece que é uma caracteristica do governo central, “não saber de nada”, não ver nada e, por isso não desconhece a lei….

Guilherme Marciano - 29/03/2016 10:19

Vergonha do meu conselho tendencioso… Mas, pra mim, pior que tendencioso, seria a possibilidade de estar fazendo uma análise pobre intelectualmente. Duas possibilidades abomináveis.

[...] político-jurídica atual do país – Instituto Brasileiro de Direito Urbanístico (IBDU) Nota do CFP sobre o atual momento da conjuntura política e social brasileira – Conselho Federal de Psicologia (CFP) Nota Oficial – FNA – Federação Nacional dos [...]

Alaise Moser Bressan - 29/03/2016 17:06

Fomos ouvidos para que o CFP lancasse essa nota? O CFP não é a autoridade maior da psicologia, ela não é a entidade que deveria nos representar?
AO invés de se preocupar com a nossa profissão fica se preocupando e compactuando com o PT. Lamentavel esta publicação.

KELLY PALANKOF - 29/03/2016 19:16

Indignação…

KELLY PALANKOF - 29/03/2016 19:19

Me sentindo mal representada por um conselho que vem a público expressar opinião pessoal, em nome de uma classe profissional. Repudio a essa nota. #NãoMeRepresenta.

Lucas Cevolane - 30/03/2016 0:21

Ainda que estudante, orgulho – me de fazer parte de uma classe profissional que possuem seus olhares voltados as mais diversas vertentes sociais do país. Sem dúvida passamos por um momento de vergonha e calamidade pública a nova administrativo, jurídico e governamental, mas com a certeza de acreditar em uma justiça justa e uma sociedade concientizada. Obrigado CFP pela nota representante.

[...] político-jurídica atual do país – Instituto Brasileiro de Direito Urbanístico (IBDU) Nota do CFP sobre o atual momento da conjuntura política e social brasileira – Conselho Federal de Psicologia (CFP) Nota do Primaz da IEAB sobre o momento político [...]

Luciana Magalhães - 30/03/2016 15:45

Não concordo. O conselho federal representa os psicólogos do Brasil e não pode e nem deveria se manifestar em defesa de partidarismo. Sua função é defender os direitos da categoria, fazer melhoria. Uma vergonha à mais!

Maria Auxiliadora Vaz de Melo - 30/03/2016 17:44

Imensa decepção me acometeu quando li o texto do CFP, posicionando com total tendenciosidade, defendendo um partido de ideologia contrária à liberdade, a ética, a responsabilidade e compromisso com o SER HUMANO, independente de classe social. Meu sentimento de indignação com a nossa política não é partidária, mesmo por que já cursei além da psicologia, ciência política, ingressei num partido mais tarde apoiei a proposta bolivariana. Até então, havia viajado para alguns países das Américas e Europa. Tinha a impressão de que nossa condição de terceiro mundo se devia a exploração dos mais desenvolvidos. Foi quando me aposentei e dediquei a estudar as ideologias políticas e religiosas mundiais, desde ocidente e oriente, até a Ásia, pesquisando em cada país, no continente, os efeitos de suas políticas no desenvolvimento de pessoas inseridas no contexto de seus subsistemas, como família, educação, segurança, saúde, patrimônio, emprego, etc., e a liberdade e as oportunidades de viver em liberdade e dignamente em cada país. As descobertas são impressionantes, principalmente, a nossa cegueira em apoiar mentiras de governos que propõem acabar com pobreza, usando essa pobreza como celeiro de votos, com promessas de melhorias que nunca chegam. Políticos corruptos, desviando a arrecadação fiscal para compra de apoio e permanência no poder. Os países que vivem sob a ideologia bolivariana estão objetivando dar o mesmo golpe que os militares deram na América do Sul, e, nos países que já conseguiram dominar, visitei todos no ano passado, estão irreconhecíveis, conversei com organizações, professores e pessoas na rua, e a queixa é uma só. Uma ideologia mentirosa, objetivando um projeto de ditadura, igual a que já passamos, com outro nome. São dois lados de uma mesma moeda.
Sugiro ao CFP propor que jamais aceitaremos golpe civil ou militar. Manutenção do Estado de Direito livre da corrupção, de ditadura, com políticas públicas corretas que garantam a dignade, a sobrevivência feliz, sob uma gerência eficaz do estado. Abominação do jogo político de enganação e corrupção, sejam eles por parte de qualquer seguimento político, que usam as classes sociais como veículo de manobra para manutenção no poder.

Ciro de Almeida Sampaio - 30/03/2016 18:36

O CFP precisa posicionar-se de uma maneira apaziguadora, em vez de demonstrar claro posicionamento político _ como se percebe ao longo do texto. A maneira que o CPF demonstrou viés partidário. Um tom conciliatório, de amplitude de percepção, deve permear um Conselho que representa uma multiplicidade que é nossa categoria!

Como podemos instigar ter a voz do CFP reproduzindo o que sentimentos e o que pensamos tanto quanto as ações e decisões dos nossos representantes políticos nos represente efetivamente?

Fica a reflexão para o Conselho…

Paz nos corações!

Maria das Graças d'Oliveira - 30/03/2016 21:57

Parabéns ao CFP!!! No texto, aborda com propriedade e clareza o contexto sócio-político angustiante em que estamos imersos, e cumpre seu “tão essencial papel social”. Sinto-me muito bem representada, como profissional e cidadã brasileira!!!

Maria Helena B. O. Maia - 31/03/2016 16:38

Nota tendenciosa! Postura claramente partidária!
O CFP não me representa!

Não parece ser a posição de uma instituição que representa uma categoria que busca em seus atos a imparcialidade, vergonha

Maurivan - 01/04/2016 22:18

Ufa!!! Tive conhecimento desta nota hj depois fazer um comentário por perceber até então o silêncio do CFP. O que me causava estranheza, pois não é do feitio do Conselho se omitir e silenciar frente aos fenômenos q se configuram como obstáculos ao desenvolvimento humano. Destaque: quero parabenizar o CFP pela nota. Sinto-me representado pela nota. Gostaria de sugerir q esses documentos fossem enviados ao nosso email. SE foi enviado, desconsidere esta colocação.

Maria Helena B. O. Maia - 02/04/2016 0:58

Recuso-me a acreditar que o CFP use o expediente “moderação ” como uma forma de censura

É lamentável essa postura claramente partidária do CFP. Deveriam se preocupar com questões voltadas para a ciência psicológica e para o bem estar de todos. Houve falha também no final do posicionamento, pois citoaram apenas algumas populações específicas, deixando de fora os portadores de deficiência, por exemplo. O conselho deve defender e apoiar TODOS os direitos humanos!

Clovis Loureiro - 04/04/2016 19:39

Parabéns pelo posicionamento lúcido deste Conselho em defesa de nossa democracia e do Estado de Direito,espero que em breve possamos pesquisar esse fenômeno psicossocial.

maria helena masquetti - 06/04/2016 15:58

Obrigada ao CFP pelo posicionamento uma vez que todos os canais de midia estão descaradamente abertos e unidos na tentativa de destruir as garantias sociais tão arduamente conquistada na ânsia de novamente aprofundar o abismo que separa os menos favorecidos das classes privilegiadas. Não é admissível, por exemplo, que alguém com tantos crimes impunes esteja, sob os olhos coniventes de toda a midia, esteja cínica e livremente gozando do direito de julgar quem quer que seja.

Eliza Camargo - 07/04/2016 9:02

É realmente muitíssimo lamentável que um órgão representativo de uma classe, que tanto lutou para lograr o respeito da sociedade brasileira bem como para ocupar com legitimidade o seu espaço profissional, comprometa a imagem, historicamente construída, de toda a categoria, com um texto tão acintosamente político-partidário. Se o texto fizesse as afirmações como em uma carta de princípios, reportando-se ao código de ética da categoria, teria prestado um papel mais digno e relevante. Porém, o que lemos são emissões claras de juízos valorativos, e ainda mais de uma forma que não se apresentam, de forma transparante, as premissas materiais que sustentaram as conclusões.
Com esta nota, o que fica é o comprometimento da imagem de uma classe inteira, o recrudescimento de posições políticas dentro de uma classe que já é bastante desunida, e o órgão representativo, que já não goza de tanta simpatia em meio à à categoria, coloca-se como “viúva” ou “carpideira” de um projeto político-partidário, na representação interna e externa que faz da classe de profissionais de Psicologia no Brasil. No fim das contas, mais uma contribuição para a desvalorização e suspeição quantos aos nossos serviços. Que o CFP falasse por si, já seria um problema… Mas que tenha se proposto a falar, nestes tons de julgamentos conclusivos, pela classe profissional da psicologia no Brasil, foi um imenso desserviço.

Rita Costa de São Paulo - 07/04/2016 9:39

O posicionamento do CRP me representa e me parece que muitos ainda não perceberam a complexidade deste momento e das consequências das decisões políticas que virão. No mínimo um retrocesso e perda de direitos humanos e sociais, com possibilidade de segmentos da sociedade brasileira representados pela classe politica que ai se apresenta manterem um sistema corrupto e as rédeas governamentais para seu próprio interesse, mantendo um jogo das cadeiras em busca do poder, seja lá qual for o representante politico.

Suzy Fleury - 08/04/2016 16:25

Informo a quem possa interessar que eu Suzy Fleury, CIDADÃ BRASILEIRA, RG 1661441, NÃO AUTORIZO O CRP a me representar POLITICAMENTE. Tenho princípios morais e éticos que me fazem APOIAR SIM O IMPEACHMENT da Sra. Dilma Rousseff.

Simone Capela - 15/04/2016 17:26

Discordo veementemente do vergonhoso posicionamento partidario do CFP. Sim à democracia; não à mentira e à manipulação. Cumpra-se a Constituição. #foraPT #foraDilma

Finalmente chega o posicionamento do do CFP…parabéns pelo cumprimento desse dever ético-sócio-político!

Ana Lucia - 18/04/2016 21:32

Acredito que tudo que está acontecendo hoje no cenário político e social está gerando sentimentos, estresse e comportamento nas pessoas que provavelmente chegarão aos consultórios. Sendo assim, não acho ética a postura do CFP em se posicionar contra ou a favor de qualquer um dos “lados” assim como não seria ética a postura de qualquer psicologo se posicionar em seu consultório.
A posição pessoal pode existir sim mas fora do consultório e fora do conselho.
A imparcialidade deve ser uma das características de um psicólogo.

Não houve infração no código de ética. Ninguém mencionou partido algum. Pelo contrário, li justamente a indignação pelo julgamento partidário. Houve defesa de um estado democrático e de direito. Obrigada, CFP! Talvez daqui a 50 anos, reconheçam o quanto é hediondo o que está havendo com esse país, mas lembrarei que vocês sempre estiveram do lado da democracia, da Constituição de 88 e de tudo que já conquistamos.

Leonice Teresinha silvestrin Herpich - 19/04/2016 13:38

Compartilho da mesma opinão da Marcia Munhos de Campos CRP 07/07249 – 19/03/2016 20:21
Acho um absurdo um conselho se posicionar politicamente desta forma. Sem nem consultar os psicólogos.
Vou provar como esse manifesto aqui está tendencioso.
1 sou contrária à justiça seletiva e a inocência seletiva também. Algumas pessoas estão sendo investigadas no momento, outras serão em outro
2 associar a polícia a antidemocracia ou a ditadura, é um raciocínio extremamente raso. A polícia existe para nos proteger. Por não termos polícia que o país está nesse caos e nessa violência.
3 todos temos opções de assistir o programa que quisermos. Tenho assistido diversos canais e todos estão noticiando o que está acontecendo. Ou a TV nos informa ou isso seria uma obstrução da liberdade de imprensa.
4 a declaração de que as manifestações são “um golpe” já denota a identificacao política deste conselho é isso não compartilho.
5 sempre escândalos de corrupção quando divulgados eram dessa forma. A população está cansada de corrupção, como querem que sejamos cálidos nesse momento? Um surto esquizofrênico vcs tb acham que não pode ser sensacionalista?
6 direitos humanos não está ligado somente a mulheres, negros, indígenas, , jovens população de rua e LGBT. direitos humanos como o próprio nome diz está associado a direitos Humanos, a TODOS os humanos de forma igualitária com equidade. Vcs esqueceram de listar pessoas com depressao, com síndrome de asperger, autistas, esquizofrênicos, transtornos de ansiedade, síndrome do pânico, pessoas feias, pessoas bonitas, pessoas pobres, mulheres gordas…e tantos outros que sofrem violência todos os dias pela sociedade.

TODAS AS MANIFESTAÇÕES TÊM SIDO EM DEFESA DA DEMOCRACIA E MAIS DO QUE ISSO, TEM SIDO UM ATO DEMOCRÁTICO, ONDE A POPULAÇÃO SE MANIFESTA, COM O PODER QUE DEVE EMANAR DO POVO. OU SERÁ SOMENTE LEGÍTIMA AS MANIFESTAÇÕES DE BANDEIRAS VERMELHAS. ???

Afinal vivemos num país democrático , num estado democrático de direito.
“A VERDADE SOMENTE DE UMA DAS PARTES É QUASE UMA UMA MENTIRA”
DEVEMOS REVER O REAL FUNÇÃO DO CONSELHO.

Em defesa da ética, da moral, do estado de direito, o Brasil está a retroceder. Parabéns CFP, a luta continua.

Yung Fong de Pontes - 23/04/2016 0:53

O CRP me surpreendeu. Onde está a NEUTRALIDADE exigida pelo Código de Ética em seu Artigo 2.? Defender os interesses da Categoria não significa emitir comunicado comprometendo toda uma classe. ME SENTI desrespeitada por não entender que este seja o papel do Sistema Conselhos, bem como entender como CONTRADIÇÃO, pois exige postura ética e agindo desta forma sugere estar influenciando os profissionais a fazerem apologia ao descumprimento das leis.

Lucas Ramirez - 29/04/2016 20:05

Apesar de também achar que estamos testemunhando atos de golpe politico com manipulação de opinião pública,ainda assim não concordo com a atitude do Conselho em expressar aqui, num espaço dedicado a ciência psicologia e a instrução sobre o papel do profissional psicólogo perante a sociedade um posicionamento politico, pois nossa postura deve ser NEUTRA quanto a posicionamentos ideológicos quando usamos a camisa da psicologia justamente para uma boa prática da nossa CIÊNCIA, que deve buscar a VERDADE DOS FATOS, mesmo que isso desgoste esse ou aquele cidadão,esse ou aquele partido político ou a nós mesmos! Acho que o conselheiro que defende essa tendeciosa postura enquanto psicólogo do conselho deve ser cassado, tanto no cargo quanto no seu registro, pois não é um caso diferente do caso Marisa Lobo, por exemplo. O Conselho deve orientar os profissionais a praticar CIÊNCIA e dedicá-la ao bem estar do cidadão, não a defender “verdades particulares”.

Renata Werthmann - 16/05/2016 7:47

Teria sido mais salutar o CFP não haver engrossado a lógica sistêmica do intenso, generalizado e sistemático aparelhamento da máquina pública, mas, ao contrário, ter se desvinculado dela, e afirmado os valores consolidados e pactuados juridicamente na Constituição Brasileira para a administração pública. A saber, que esta deve respeitar os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Marcia Munhos de Campos, faço do post dela também o meu.

Jussara Neptune Herrmann - 24/05/2016 19:02

Me sinto bem incomodada com a posição do CRP. Acredito que nosso papel enquanto psicólogos seja uma análise da questão “do poder” do que manifestações partidárias. Esse manifesto do CRP não me representa. Enquanto cidadãos qquer um de nós poderíamos nos manifestar, mas enquanto psicólogos , o CRP além de não ter uma fala representariva de muitos de nós, fere o Código de Ética do Profissional Psicólogo na sua resolução n. 010/05 aprovada e publicada no Diário Oficial da União publicada no dia 29/07/2005 , artigo 2 e descaradamente coloca posições políticas que talvez represente o grupo que o escreveu. Lamentável!!!!

Claudia Gelernter - 27/05/2016 12:46

Declaro que me sinto totalmente representada por este Conselho. Parabenizo esta publicação e o valoroso trabalho do CFP.

Firmino Leite Caldas - 05/06/2016 17:27

Estou me sentido aliviado,o meu conselho,como era de se esperar de forma coerente e equilibrada vem à publico defender aos que durante 20 anos lutaram pela democracia como eu.Só quem foi as ruas e as custas de suor e lagrimas em defesa dos seus direitos, sabe o valor da democracia, a maior das leis não pode ser violentada por interesses excursos,o pais e seu povo é maior duque partidos políticos, seja qual for a justificativa, o nosso direito maior está em jogo, da Democracia não podemos abrir mãos. Vamos reagir! vamos a luta! Parabéns CFP!!!

Falou e não disse nada. Deveriam ser mais claros. CONTRA O GOLPE. Sem palavreado enrolado, ”bonitinho”.

Adicionar Comentário





2 + = 4