Notícias

02/04/2019 - 17:17

Psicologia Política ganha mais um espaço de debate

Associação Brasileira de Psicologia Política lança nova sessão em seus comunicados, com o objetivo de aproximar categoria do tema interdisciplinar

A Associação Brasileira de Psicologia Política (ABPP) lançou na edição Nº3 de seu comunicado, em março, a seção Psicologia Política- Contribuições para a formação e para atuação profissional. O objetivo é apresentar a importância da Psicologia Política em práticas que visam a democratização da sociedade brasileira e a promoção e efetivação dos direitos humanos.

Segundo o presidente da entidade, Frederico Costa, a ideia é aproximar as(os) profissionais e estudantes de Psicologia ao tema da Psicologia Política. “A Psicologia Política propõe o distanciamento das perspectivas individuais para pensar uma articulação entre sujeito e sociedade para compreensão das condições de mundo”, explica.

A Psicologia Política configura-se como uma disciplina emergente na Psicologia e possui múltiplas e distintas definições. Práticas, pesquisas e estudos desta disciplina abarcam temas como a participação e o comportamento político, assim como consciência política, a intersecção entre subjetividade e movimentos sociais e o papel do pensamento humano, as emoções e fatores sociais como determinantes do comportamento político.

Trata-se de um campo interdisciplinar que utiliza teorias psicossociais e sociais para analisar o mundo da política e o comportamento coletivo e individual numa sociedade referenciada pelo Estado.

Revista Psicologia Política abre chamada de artigos

A ABPP também abriu chamada para publicação de artigos na Revista Psicologia Política. O foco da revista é a publicação de estudos originais, sejam empíricos ou teóricos, sobre fenômenos políticos – abrangendo debates relativos, por exemplo, a movimentos sociais, políticas públicas, relações de dominação, democracia – ou sobre a história e/ou perspectivas teóricas da Psicologia Política.

São duas categorias para submissão de artigos:

  • “Sujeito, Política e Democracia”, sem prazo limite para envio.
  • “Teorias e análises intereseccionais no enfrentamento político de desigualdades e opressões”, com prazo até 30 de abril de 2019.

 Para mais informações acesse www.psicologiapolitica.org.br