Notícias

14/07/2016 - 19:00

2º dia do Congresso Brasileiro de Psicologia Organizacional e do Trabalho é marcado por debates

A apresentação “Modelo de Competências para Formação Profissional em POT” foi desdobramento de debate online realizado pelo CFP em março

O 7º Congresso Brasileiro de Psicologia Organizacional e do Trabalho (CBPOT), que começou ontem no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em Brasília (DF), teve prosseguimento nesta quinta-feira (14) com uma série de atividades, como mesas redondas, debates temáticos, conferências, mesas institucionais, comunicações de pesquisa, relatos de experiência, lançamento de livros e exposição de postêres, entre outros.

Modelo de competências 

Uma das mesas institucionais do dia debateu o tema “Competências e exercício profissional em Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT)”. A temática é continuidade do workshop realizado em março no CFP, que resultou em um debate online realizado na própria autarquia. Três dos participantes do debate no CFP foram os palestrantes da mesa do Congresso: Adriano Peixoto (presidente da Associação Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho/ SBPOT), Gardênia Abbad (UnB) e Virgílio Bastos (UFBA).

Segundo Bastos, o desafio da Psicologia Organizacional e do Trabalho é superar os limites de modelos e campos consolidados ao longo do tempo. O pesquisador provocou a reflexão sobre como a estrutura deste campo científico e profissional em contexto de mutação direciona o trabalho em POT, ponderando que, para isso, a (o) psicóloga (o) precisa estar atenta (o) à dinâmica das mudanças das relações de trabalho no Brasil e no mundo, como as constantes ameaças de retirada de direitos da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas).

Abbad, ao discorrer sobre “competências profissionais primárias e trilhas da aprendizagem”, afirmou que o país, desde os anos 1980, vive muitos problemas na formação profissional da (o) psicóloga (o). Segundo a pesquisadora, há dificuldades em competências básicas, poucas oportunidades de requalificação profissional, autodidatismo e formulação de estratégias não institucionalizadas.  Para ela, a “trilha de aprendizagem” visa mostrar o lugar em que o indivíduo está em sua formação e onde ele precisa chegar, de modo encadeado entre a formação teórica e o trabalho.

Peixoto enfatizou que a formação em qualquer área da Psicologia não se esgota na graduação, e explicou que o campo da Psicologia Organizacional e do Trabalho é integrado por três disciplinas: Trabalho, Organizações e Gestão de Pessoas, divididas em 12 áreas de definições e operacionalizações.

Representantes do Conselho Federal de Psicologia (CFP) participam de diversas mesas e debates ao longo do evento. A autarquia montou um stand na tenda central do UniCEUB, em que são distribuídas publicações institucionais da entidade.

O 7º CBPOT terá prosseguimento nesta sexta-feira. Clique aqui e confira a programação para sexta.