Notícias

06/12/2016 - 9:38

Debate online aborda gestão integral de riscos e desastres

Atividade do CFP com transmissão ao vivo na segunda (12) terá como base nota técnica sobre atuação da Psicologia nesse contexto

“A atuação da Psicologia na gestão integral de riscos e desastres” é o tema do próximo debate online do Conselho Federal de Psicologia (CFP), na segunda-feira (12), das 14h às 16h.

A atividade objetiva apresentar a nota técnica de orientação profissional elaborada pela Comissão de Psicologia na Gestão Integral de Riscos e de Desastres. Também contextualiza a mudança de nome da Comissão (antes denominada “de Psicologia nas Emergências e Desastres”) e marca o encerramento de suas atividades na vigência do 16º Plenário da autarquia (2013-2016).

Em sua participação, Ionara Rabelo, que integra a coordenação da Comissão, falará sobre a nota técnica e a relação de suas diretrizes com a Política de Proteção e Defesa Civil. A representante do Ministério da Integração Nacional, Maria Cristina Dantas, vai se concentrar nas ações desenvolvidas pelo Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec) no âmbito da Gestão de Risco de Desastres, com ênfase naquelas relacionadas à nota, como os planos de contingência. Representando a entidade Médicos sem Fronteiras, a psicóloga Letícia Nolasco abordará o manifesto de simpósio internacional de Saúde Mental com foco na área.

A crise em torno do vírus zika e da microcefalia em Pernambuco será o foco da participação da psicóloga Conceição Pereira, especialista em fatores humanos. O coordenador da Rede de Atenção Psicossocial de Mariana (MG), o psicólogo Sergio Rossi, falará sobre a gestão da rede de Saúde Mental no município após o desastre da mineradora Samarco.

Além de mediar a discussão, a outra coordenadora da comissão do CFP, Eliana Torga, explanará sobre as ações realizadas.

O bate-papo será transmitido ao vivo no canal do CFP no YouTube. Perguntas podem ser enviadas para o e-mail eventos@cfp.org.br, ou via redes sociais, com a hashtag #PapoPsi

Escopo ampliado

A mudança do nome da Comissão afirma a contribuição da Psicologia para o processo de gestão de riscos e de desastres, a fim de que sejam pautadas ações e aportes teóricos alinhados às políticas públicas existentes, que possam englobar os diferentes atores que atuam nessas temáticas, tais como Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Sistema Único de Saúde (SUS), Sistema Único de Assistência Social (Suas), Educação, comunidades em áreas de riscos e gestores.

No entendimento da autarquia, a atuação das psicólogas e psicólogos ainda está vinculada ao pós-desastre, em intervenções voltadas para a avaliação acerca da existência de transtornos mentais e a psicoterapia, individual ou grupal, a fim de diminuir o sofrimento psíquico da população afetada. A Comissão defende o envolvimento em todo o processo de prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação, na perspectiva da Lei 12.608/2012, que institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil.