Notícias

05/07/2017 - 17:15

Diálogos Digitais: #OrgulhoLGBT: a Psicologia apoia esta causa, e você?

A cada 25 horas um (a) brasileiro (a) é barbaramente assassinado (a) vítima da “LGBTfobia” (Relatório de 2016 do Grupo Gay da Bahia).  Essa realidade violenta, que coloca o Brasil na liderança mundial de crimes contra minorias sexuais,  demonstra o quanto o país ainda precisa avançar na defesa da garantia dos direitos de cidadania àqueles (as) que têm orientações sexuais e identidades de gênero fora dos padrões heteronormativos.

A Psicologia, enquanto ciência e profissão, tem historicamente se posicionado em defesa dos direitos LGBT. Há 18 anos, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) formalizou por meio da Resolução nº 01/1999 o entendimento de que para a Psicologia a sexualidade faz parte da identidade de cada sujeito e, por isso, práticas homossexuais não constituem doença, distúrbio ou perversão.

Desde então, o CFP tem promovido diversas ações nas áreas de comunicação e jurídicas relacionadas à defesa dos direitos LGBT e à conscientização, especialmente para os profissionais de saúde, de que as homossexualidades e as expressões trans não podem ser tratadas como patologias.

Este ano, para marcar o Dia Internacional do Orgulho LGBT, celebrado em 28 de junho em diversos países, o Conselho Federal de Psicologia lançou a campanha “A Psicologia respeita a diferença. Dia do Orgulho LGBT”.

Encerrando a agenda comemorativa, no próximo 13 de julho (quinta-feira), às 19h, o CFP realizará um bate-papo da série “Diálogos Digitais” com o tema: “#OrgulhoLGBT: a Psicologia apoia esta causa, e você?”.

A atividade, quer será transmitida ao vivo pelo site www.cfp.org.br, contará com as presenças de Sandra Sposito (conselheira do CFP e doutora em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista), Pedro Paulo Bicalho (diretor do CFP, doutor em Psicologia e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro), Ematuir Teles de Sousa (psicólogo, conselheiro CRP-SC e membro da Comissão de Direitos Humanos do CFP), Flávia do Bonsucesso Teixeira (doutora em Ciências Sociais e professora da Universidade Federal de Uberlândia)  e Ludymilla Santiago, coordenadora da Associação do Núcleo de Apoio e Valorização à Vida de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Distrito Federal e Entorno (ANAVTrans).

Você pode participar em tempo real enviando perguntas pelo Youtube, Facebook e Twitter com a #OrgulhoLGBT ou pelo e-mail comunica@cfp.org.br.

Diálogos Digitais

#OrgulhoLGBT: a Psicologia apoia esta causa, e você?
Data: 13 de julho de 2017 (quinta-feira)
Horário: 19h
Transmissão ao vivo pelo site www.cfp.org.br

Conheça melhor os participantes:

Ematuir Teles de Sousa

Mestrando em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Membro da Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia (CDH/CFP) e especialista em em gênero e sexualidade.

Flavia do Bonsucesso Teixeira

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas, pós-doutora pela Uni-versità degli Studi di Milano (2010) e no Núcleo de Estudos de Gênero PAGU/Unicamp (2017). Professora da Universidade Federal de Uberlândia e docente do Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família.

Guilherme Silva de Almeida

Doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), mestre em Ciências pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e graduado em Serviço Social pela UERJ. Professor adjunto da Faculdade de Serviço Social da UERJ e pesquisador da área de diversidade sexual e gênero, políticas de saúde e relações de trabalho.

Pedro Paulo Bicalho

Doutor e mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), especialista em Psicologia Jurídica (Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ), professor Associado do Instituto de Psicologia, do Programa de Pós-Graduação em Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas em Direitos Humanos da UFRJ. Professor Visitante do Scottish Institute for Policing Research da University of Dundee (Escócia) e do Programa de Maestría en Psicología Social da Universidad de la Republica (Uruguai).

Sandra Elena Sposito

Doutora em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista (Unesp Assis)  e mestre em Educação para Ciências pela Unesp Bauru. Professora universitária das áreas de Psicologia Social e Comunitária e Sexualidade e Gênero.