Agenda

< Agosto 2021 >
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
 
 
 
 

Seminário de Curta Duração: Introdução a teoria de Piera Aulagnier – 2021 – docentes Helena Maria Daquanno Martins Testi e Paula Regina Peron

O seminário traz as contribuições de Piera Aulagnier a psicanálise freudiana e a clínica da psicose. Em “A Violência da Interpretação” (1975), Aulagnier re-interroga o modelo metapsicológico elaborado por Freud a fim de “encontrar um acesso à análise da relação que o psicótico mantém com o discurso, que permita à experiência analítica uma ação mais próxima da ambição de seu projeto” (Aulagnier.1975:13). Para dar conta desta tarefa, ela propõe um novo modelo do aparelho psíquico, a partir de uma concepção muito própria do conceito de representação, particularmente, a representação pictográfica, que abordaremos neste seminário. programa.: 1. Biografia e bibliografia de Piera Aulagnier. A violência da interpretação: do pictograma ao enunciado. Os modos de funcionamento do psiquismo (processo originário e representação pictográfica, primário e representação fantasmática, e o processo secundário) e as potencialidades neurótica, psicótica e polimorfa. 2. Um intérprete em busca de sentido I: A teoria do eu, sobre o processo secundário, e a atividade do pensar. Contribuições a teoria da identificação, as Noções de projeto identificatório e contrato narcisista. 3. Um intérprete em busca de sentido II: Contribuições a clínica da psicose e a técnica da Contribuição Figurativa. Estudo de casos e ponderações sobre as formações psicanalíticas.

Oficina Clínica: O início do tratamento – 2° semestre 2021 – psicanalista convidada Rita Bícego Vogelaar

O que faz alguém procurar uma análise? Geralmente, porque está sofrendo, porque as manobras neuróticas que funcionavam até aquele momento não dão mais conta, porque tem perguntas e quer respostas, porque nem perguntas consegue fazer, porque quer ficar mais parecido com quem queria ser mas não consegue, porque não vê mais sentido nas coisas, porque quer realizar os seus desejos, que muitas vezes nem sabe quais realmente são … porque, no fundo, não consegue abandonar a relação de amor com seu sintoma, com, justamente, aquilo que o faz sofrer. A manobra preliminar à entrada em análise visa justamente uma fala do analista que implique o sujeito na sua própria fala. Isso significa que o sujeito assuma certa responsabilidade sobre algo que, apesar de lhe parecer alheio, lhe diz respeito. É preciso dar uma nova destinação a algo que antes ocupava uma certa posição, um efeito de surpresa que dê desequilíbrio ao que estava excessivamente acomodado até então. Por meio de fragmentos clínicos trazidos tanto por mim quanto pelos participantes, da reflexão a partir de textos teóricos, a oficina pretende trabalhar o manejo clínico dessa etapa crucial de qualquer análise: seu início – pensando nas questões transferenciais, hipóteses diagnósticas, as questões do setting e a questão do pagamento, que nada tem de objetiva e burocrática quando se trata de uma análise. programa.: 1. Sofrer … eis a questão! 2. Manejo … eis a tática! 3. Pagamento … eis um problema a ser pensado caso a caso! 4. Entrar em análise … eis o propósito!

I Simpósio Internacional de Avaliação Psicológica (I SIAP)

No dia 11 de março de 2020 a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o mundo vivia uma pandemia do COVID-19, esse contexto se prolonga até o atual ano de 2021, acarretando inúmeras infecções e mortes por todo o mundo. Entretanto, estes não são os únicos problemas causados pela doença, pois todo esse contexto social e histórico está favorecendo um aumento exponencial de casos de transtornos mentais como ansiedade, depressão e outros. Por isso, na atual conjuntura sanitária, a avalição psicológica se faz ainda mais importante para entender, identificar e prevenir problemas ou crises que possam vir a existir no sujeito devido aos momentos de isolamento domiciliar e alto grau de informações e preocupações submetidas nesse período histórico e social. Em razão destas condições críticas de mudança na atuação profissional do psicólogo, no contexto internacional a Associação Americana de Psicologia (APA) publicou orientações as práticas de avaliação psicológica no contexto remoto, Orientação sobre teleavaliação psicológica durante a crise COVID-19, publicada em maio de 2020, enquanto que em agosto de 2020, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) publicou em agosto de 2020 a “Cartilha de Boas Práticas para Avaliação Psicológica em Contextos de Pandemia”. Estas iniciativas direcionam a atenção para que os profissionais psicólogos adotem com a operacionalização dos recursos avaliativos, as análises de dados e os aspectos éticos na avaliação psicológica. Pensando em todo esse cenário e tendo em vista a importância de se entender e discutir o ensino e as práticas da Avaliação Psicológica, o I SIAP abordará o tema “Avaliação Psicológica em Contextos de Pandemia”. Com isso, pretende-se abordar o tema por meio de palestras, mesas redondas e minicursos, que irão contar com a participação de renomados profissionais e pesquisadores, nacionais e internacionais, da Avaliação Psicológica em suas diversas especialidades.