Notícias

02/07/2018 - 16:31

Psicologia debate papel da profissão em emergências e desastres

Marisa Helena Alves, do CFP, apresentou histórico do tema no Sistema Conselhos de Psicologia

Na foto, conselheira Marisa Helena, do CFP, falando sobre Psicologia em emergências e desastres, em evento do CRP-04

As experiências de profissionais da Psicologia em emergências e desastres foi tema do ciclo de debates “Psicologia em Foco”, dia 20 de junho, no Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais (CRP-MG/4ª Região). O objetivo foi discutir o tema e a importância da Psicologia durante eventos dessa natureza.

Marisa Helena Alves, do Conselho Federal de Psicologia (CFP), apresentou o histórico do tema dentro do Sistema Conselhos de Psicologia e falou sobre a realização, em 2006, do I Seminário Nacional de Emergências e Desastres em conjunto com a Defesa Civil; a participação no V Seminário Nacional de Defesa Civil (Defencil), em 2009; e na I Conferência Nacional de Defesa Civil, em 2010; além de evento sobre o tema realizado em parceria com a Associação Brasileira de Ensino de Psicologia (Abep) e a Secretaria Nacional de Defesa Civil, em 2011.

Marisa ainda destacou que o Sistema Conselhos integra a Rede Latino-americana de Emergências e Desastres. “Em 2011, fizemos planejamento estratégico unificado da Psicologia das Emergências e Desastres. E, em 2017, renovamos o GT, que agora passa a discutir também a questão na perspectiva dos riscos e desastres e do direito à cidade, porque ela não é mais um lugar que acolhe, principalmente determinadas populações, como negros, mulheres e pessoas LGBT.”

O evento também teve participação de Cecília Ribeiro da Silva, psicóloga e mestra em Psicologia, assessora técnica da Cáritas às comunidades atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), e de Juliana Matos, psicóloga, especialista em Saúde Pública, coordenadora Municipal de Saúde Mental de Janaúba (MG). Ambas fizeram relatos sobre o evento da barragem da Samarco, em Mariana, e também sobre o incêndio na creche em Janaúba. A mediação ficou a cargo de Mariana Tavares, conselheira e coordenadora das comissões Psicologia e Clínica e Psicologia nas Emergências e Desastres do CRP-MG.