Inscrições abertas para o 36º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo

“Com o tema “Futuro em risco – Mortandade de Abelhas”, o Movimento de Justiça e Direitos Humanos (MJDH) e a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Rio Grande do Sul (OAB/RS), com a colaboração da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio Grande do Sul (ARFOC-RS) apresentam o 36º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo, edição de 2019. O Conselho Federal de Psicologia (CFP) apoia a iniciativa.

Poderão ser inscritos os trabalhos jornalísticos realizados nas categorias: Acadêmico, Reportagem. Rádio, Fotografia, Crônica, Televisão, Jornalismo online, Documentário, Grande Reportagem (livro reportagem) e Categoria Especial: “As fakes News mudam também a sua vida”.

Envio do material

Nesta edição, o Prêmio Direitos Humanos recepciona para premiação especialmente os trabalhos inscritos sob o tema do respeito e observância aos direitos da cidadania por parte do Estado. Para os organizadores do Prêmio, “estes são princípios essenciais para a defesa dos Direitos Humanos, sempre em risco nas sociedades da América do Sul marcadas por tanta desigualdade entre as pessoas e a deficitária ação de Estado”.

O material, em cada categoria, deverá ser entregue pessoalmente, ou enviados via correios, até o dia 22 de novembro de 2019, para a sede do Movimento de Justiça e dos Direitos Humanos, localizado na Avenida Borges de Medeiros, número 340, sala 22 – 2º andar, Centro Histórico de Porto Alegre, CEP: 90020-020. 

Direitos Humanos em Jornalismo

O Movimento de Justiça e Direitos Humanos e OAB/RS, com a colaboração ARFOC-RS, instituíram, em 1984, o Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo visando estimular o trabalho dos profissionais do jornalismo na denúncia de violações e na vigilância ao respeito aos Direitos Humanos.

Serviço

36º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo, edição de 2019.

Inscrições: Avenida Borges de Medeiros, número 340, sala 22 – 2º andar, Centro Histórico de Porto Alegre, CEP: 90020-020. Até o dia 22 de novembro

Mais informações: 51 3221.9130 e 51 99951.2869

 

CFP participa de I Encontro Nacional de Psicólogas(os) do Ministério Público

Discutir o aprimoramento do trabalho e a construção de uma identidade da Psicologia na instituição. Esse é um dos objetivos do I Encontro Nacional de Psicólogas(os) do Ministério Público Brasileiro, que será realizado nos dias 17 e 18 de outubro, na sede do Ministério Público do Estado da Bahia, em Salvador, que terá a participação de representantes do Conselho Federal de Psicologia (CFP).

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui até o dia 8 de outubro. O curso é aberto para psicólogas(os) com atuação no Ministério Público, bem como em temáticas relativas a Direitos Humanos. Para saber mais sobre a programação do evento, acesse aqui.

CFP presente

O CFP estará presente com o presidente da Autarquia, conselheiro Rogério Giannini, na mesa de abertura; e com a coordenadora da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do CFP, Ana Luíza Castro, que realizará uma oficina da Campanha Nacional de Direitos Humanos #DiscursoDeÓdioNão. Haverá, ainda, um stand do CFP que distribuirá algumas de suas publicações, como o livro “Tentativas de aniquilamento de subjetividades LGBTIs”. 

Psicólogas(os) do MP

No primeiro dia, após a abertura, serão realizadas duas mesas redondas: “A Interface das Psicologias com os direitos no âmbito do Ministério Público brasileiro”, pela manhã, e a “Apresentação do Levantamento do Perfil das(os) psicólogas(os) do Ministério Público brasileiro”, à tarde, além de uma roda de conversa e divisão dos temas em Grupos de Trabalho.

Na data seguinte, os Grupos de Trabalho terão prosseguimento, seguidos da apresentação dos resultados provenientes dos GTs, assim como redação do documento final do encontro e definição da sede do próximo Encontro Nacional de Psicólogas(os) do Ministério Público Brasileiro. 

Serviço

I Encontro Nacional de Psicólogas (os) do Ministério Público Brasileiro

Data: 17 e 18 de outubro

Endereço: Ministério Público do Estado da Bahia – 5ª Avenida, n° 750, do CAB – Salvador, BA – Brasil – CEP 41.745-004

Mais informações: www.mpba.mp.br

 

CFP participa de Seminário de Boas Práticas em Gestão de RH em Saúde no Mercosul

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) foi convidado a participar do Seminário de Boas Práticas em Gestão de Recursos Humanos em Saúde no Mercosul, que reuniu, nos dias 2 e 3 de setembro, em Brasília (DF), representantes do Ministério da Saúde e membros dos Estados Partes e Associados do Mercosul. A meta é elevar a qualidade dos serviços, garantindo saúde e assistência a todas(os) as(os) cidadã(ãos) dos países membros. A conselheira do CFP, Jureuda Guerra, foi representando a Autarquia no encontro.

O produto final do encontro foi a construção de um documento, elaborado por grupos de discussão, contendo estratégias para avançar em uma agenda conjunta para a consolidação da gestão de Recursos Humanos em Saúde nas Zonas Fronteiriças. O material será encaminhado ao ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta, para subsidiar a reunião de Ministros, que acontecerá durante a presidência pro tempore (rotativa) do Brasil do Mercosul. A iniciativa faz parte da Subcomissão de Desenvolvimento e Exercício Profissional (SCOEJER), do Subgrupo de Trabalho nº 11 (SGT 11) do MERCOSUL.

Seminário

O seminário contou com a presença de representantes da Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai, além de representantes dos Conselhos Profissionais de Saúde do Brasil, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (CONASEMS) e representantes da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização (OPAS/OMS).

O debate girou em torno de assuntos como o exercício profissional em zona de fronteira; as experiências dos países na elaboração e implementação de políticas de saúde em áreas fronteiriças; as experiências regionais de atuações de Saúde em áreas fronteiriças, além das ações englobando a Saúde indígena. Também foram abordados os desafios para a cobertura vacinal nos cerca de 120 municípios de fronteira do Brasil, bem como a normatização das profissões e a implementação de sistemas de informações sobre trânsito de profissionais para realização de serviços do outro lado da fronteira, visando o desenvolvimento de perfis adequados às necessidades de saúde da população.

Participação do CFP

A conselheira do CFP Jureuda Duarte Guerra relatou que o encontro foi importante para identificar e especificar, em função das necessidades e das políticas de saúde dos Estados Partes, acompanhar o processo de implementação da Matriz Mínima para o exercício profissional; identificar necessidades comuns de formação de profissionais da saúde nos Estados Partes para avançar em propostas de desenvolvimento de perfis adequados às necessidades de saúde da população e formular diretrizes para a regulação profissional em zonas de fronteiras.

Durante o evento, Jureuda alertou para as questões envolvendo os cursos de Ensino a Distância (EaD), destacando, que, somente o Brasil usa desse expediente, diferentemente de outros países do Mercosul. A conselheira do CFP abordou ainda a importância de uma maior integralidade dessas profissões não apenas no Mercosul, como na América Latina, citando os trabalhos realizados pela União Latino-americana Entidades de Psicologia (Ulapsi). “Precisamos de maior integralidade na América Latina, para além da língua, uma maior aproximação e respeito profissional, que o brasileiro quiser trabalhar tenha maior facilidade, que o Brasil também precisa receber com maior tranquilidade, profissionais e não entender como uma ameaça”, reforça.

Com informações do site do Ministério da Saúde

 

 

CFP publica nova resolução sobre Pessoa Jurídica que presta serviços de Psicologia

A Pessoa Jurídica que presta serviços de Psicologia em razão de sua atividade principal deve ser registrada no Conselho Regional de Psicologia (CRP), em cuja jurisdição exerça suas atividades. É isto que estipula a Resolução CFP nº 16/2019, publicada nesta quinta-feira (5) no Diário Oficial da União (DOU).

O documento, aprovado na Assembleia das Políticas da Administração e das Finanças (APAF), em maio deste ano, entrará em vigor em um prazo de 60 dias após a publicação no Diário Oficial da União.

A referida norma prevê também, em seu artigo 9º, a obrigatoriedade do cadastramento: “Pessoa Jurídica que presta serviços de Psicologia em razão de sua atividade secundária, está obrigada a proceder ao cadastramento no Conselho Regional de Psicologia”.

Segundo a norma, o registro é obrigatório, inclusive para as Empresas Individuais de Responsabilidade Limitada (EIRELI), Associações, Fundações de Direito Privado, Instituições de Direito Público, Cooperativas, Entidades de Caráter Filantrópico, Organizações Não-Governamentais (ONG), Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), Sociedade de Economia Mista.

Resolução CFP nº 16/2019

Para fazer o registro de pessoa jurídica, a(o) psicóloga(o) responsável deverá enviar requerimento dirigido ao Presidente do Conselho Regional de Psicologia (CRP), devendo apresentar o ato constitutivo devidamente registrado no órgão competente, CNPJ, alvarás de funcionamento, certidão negativa da (o) Responsável Técnica (o) e contrato ou carteira de trabalho da (o) Responsável Técnica (o), Certificado de Registro em outro Conselho de Classe, se possuir. Esse procedimento também tem que ser realizado para o cadastramento.

O pedido também deverá constar de declaração que garante às(aos) psicólogas(os) que nela trabalhem ampla liberdade na utilização de suas técnicas e que obedece aos demais princípios estabelecidos no Código de Ética Profissional do Psicólogo; sendo que a autonomia profissional deve ser preservada e o local de trabalho deve estar adequado à legislação profissional, principalmente no que se refere à guarda de material privativo utilizado e ambiente de trabalho que respeite os princípios da privacidade da pessoa atendida e do sigilo profissional.

Acesse a íntegra da Resolução CFP 16/2019

 

 

Sertão do São Francisco recebe congresso de Psicologia

A cidade de Belém do São Francisco, no sertão de Pernambuco, recebe, de 23 a 25 de outubro de 2019, o II Congresso de Psicologia do Sertão do São Francisco (II COPSISF).

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) é um dos apoiadores do evento e será representado pela integrante da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do CFP, Maria de Jesus Moura.

Um dos objetivos do congresso é refletir sobre temáticas que envolvem processos de exclusão e suas relações com as diversas identidades existentes, que devem ser respeitadas na sua singularidade e levando em consideração cada uma das suas facetas. O evento ocorrerá na Faculdade de Ciências Humanas e Exatas do Sertão do São Francisco (Facesf), e o primeiro lote de inscrições está aberto até o dia 10 de setembro pelo site da Facesf.

O II COPSISF contará com Mesas Redondas, Minicursos, Oficinas, Apresentação Oral, Apresentação de Pôsteres, Espaço Lúdico, Espaço AtivaMente, Espaço Saúde e Plantão Psicológico.

Quem desejar submeter trabalhos deverá fazer a inscrição e enviar resumo do trabalho para o e-mail copsisf.trabalho@gmail.com até às 23 horas 59 minutos do dia 23 de setembro de 2019. Mas informações sobre submissão de trabalhos acesse aqui. 

Serviço

II Congresso de Psicologia do Sertão do São Francisco – II COPSISF

Data: 23 a 25 de outubro de 2019

Local: Faculdade de Ciências Humanas e Exatas do Sertão do São Francisco (Facesf), Belém do São Francisco (PE)

Mais informações: http://www.facesf.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=107:ii-congresso-de-psicologia-do-sertao-do-sao-francisco&catid=2&lang=pt

 

ABPD organiza encontros sobre Psicologia do Desenvolvimento

Com o tema “Compromisso ético e político com a promoção do desenvolvimento humano”, a Associação Brasileira de Psicologia do Desenvolvimento (ABPD) realiza, de 13 a 16 de novembro de 2019, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o XII Congresso Brasileiro de Psicologia do Desenvolvimento (XII CBPD) e I Conferência Internacional sobre Psicologia do Desenvolvimento. Os dois eventos contam com o apoio do Conselho Federal de Psicologia (CFP). As inscrições seguem abertas até o dia 12 de novembro e podem ser feitas aqui.

O objetivo dos encontros é nortear o planejamento do temário científico, apresentação de trabalhos e todas as atividades que serão desenvolvidas. Segundo a organização dos eventos, os encontros também visam a contribuição de profissionais, educadoras(es), pesquisadoras(es) nacionais e internacionais que trabalham em importantes centros de pesquisa sobre o desenvolvimento humano.

Durante os encontros, acontecerão lançamentos de livros, premiação de pôsteres, 14 minicursos, entre outras atividades que estão relacionadas no site oficial dos eventos. 

Sobre a ABPD

A Associação Brasileira de Psicologia do Desenvolvimento (ABPD), fundada em 22 de maio de 1998, é uma entidade sem fins lucrativos. Congrega como associadas(os) psicólogas(os), pesquisadoras(es), professoras(es) e estudantes de Psicologia e áreas afins. Tem por objetivo o aprimoramento da produção e socialização do conhecimento em Psicologia do Desenvolvimento.

A entidade também faz parte do Fórum e Entidades Nacionais da Psicologia Brasileira (FENPB), que se constitui em um espaço amplo e agregador de organização e construção coletiva da Psicologia brasileira. Está composto por entidades de âmbito nacional, que são científicas, profissionais, sindicais e estudantis. Atualmente, o CFP compõe a Secretaria Executiva do FENPB.

Eleições 2019: 2ª Via de comprovante de votação já está disponível para acesso

As(os) psicólogas(os) que votaram para as Eleições 2019 dos Conselhos Regionais de Psicologia (CRPs) e para a Consulta Nacional do Conselho Federal de Psicologia (CFP) podem acessar a segunda via do comprovante de votação.

Para isso, a(o) profissional precisa entrar no site das eleições eleicoespsicologia.org.br e acessar o ícone “2ª Via”, localizado na parte superior central da página (ou se preferir, pode acessar de forma direta por esse link: https://www.eleicoespsicologia.org.br/#/segvia ).

Após acessar, é solicitado o CPF e a senha que a(o) psicóloga(o) utilizou para votação. Depois, clique em “prosseguir”. No momento seguinte, são apresentadas duas versões de comprovante, para salvar computador ou no dispositivo móvel: TXT (formato editável) ou PDF (formato não editável. Escolha uma e clique novamente em “prosseguir”.

Após baixar o arquivo, confira na seção de downloads do computador ou do dispositivo móvel se o arquivo foi enviado. O comprovante apresenta as seguintes informações: site das eleições, nome completo, data e hora exata do registro do voto, identificação, IP e código de autenticidade. 

Portaria CFP 17/2019

A Portaria CFP 17/2019, de 2 de agosto de 2019, institui o Manual e Instruções de Eleições On-line, nos termos da Resolução CFP nº 16/2018 (Regimento Eleitoral). A exigência do comprovante de votação está no item “e” na seção 2.1, a qual diz: “2.1. O sítio da Internet deve possibilitar: e) f) emissão de comprovante de votação e possibilidade de salvar o comprovante’.

 

CFP lança Pesquisa sobre Violência e Preconceitos na Escola durante XIV Conpe

Qual a contribuição da Psicologia para se pensar os fenômenos dos preconceitos e da violência no contexto escolar brasileiro? Essa é a pergunta chave que norteou a publicação “Pesquisa Violência e Preconceitos na Escola”, realizada entre 2013 e 2015 pelo Fórum das Entidades da Psicologia Brasileira (FENPB), por meio de suas entidades voltadas à Educação e à profissão: Associação Brasileira de Ensino de Psicologia (ABEP), Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), Conselho Federal de Psicologia (CFP) e Federação Nacional dos Psicólogos (FENAPSI), em parceria com dez universidades federais brasileiras.

Pesquisa sobre Violência e Preconceitos na Escola

A pesquisa virou livro e será lançado nesta quinta (29) durante o XIV Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional (Conpe). O lançamento será às 17h, na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), na Varanda do Instituto de Química (INQUI).

Na apresentação da publicação, o presidente do CFP, Rogério Giannini, diz a que a Autarquia assume seu compromisso com o campo da Educação e com a difusão de saberes psicológicos de relevância social, que ao mesmo tempo contribuam com o aperfeiçoamento da atuação profissional e com a construção de relações sociais mais humanas e justas.

Acesse a íntegra da Pesquisa Violência e Preconceitos na Escola

XIV Conpe começa nesta quarta (28) em Campo Grande

Começa nesta quarta-feira (28) o XIV Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional (Conpe), com o tema Educação, Inclusão e Direitos Humanos: Interlocuções com a Psicologia Escolar e Educacional. O Conselho Federal de Psicologia (CFP) apoia o evento e seu presidente, Rogério Giannini, estará na mesa de abertura, na noite desta quarta.

O objetivo do Congresso, que segue até o dia 31 de agosto na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), é possibilitar discussões, reflexões e proposições coletivas que subsidiem profissionais diante dos desafios encontrados no fazer cotidiano.

O evento terá a presença de conferencistas nacionais e internacionais nas áreas de Psicologia Escolar, Educacional e de Educação. E contará com Mesas, Simpósios nacionais e internacionais, sessões dialogadas de pôsteres, Fórum de Debates, lançamentos de livros, exposições.

Programação do Conpe

Segundo dados das(os) organizadoras(es) do evento, serão realizados eixos de discussão  sobre Inclusão, Questão Racial, Questão Indígena e tema dos Direitos Humanos tematizados em duas Conferências e dois Simpósios Magnos: um Nacional e um Internacional.

Por sua vez, as apresentações de pesquisas, discussões teórico-metodológicas, experiências exitosas, intervenções na realidade escolar e educacional acontecerão em 55 Minicursos, 48 Simpósios, 25 Mesas-Redondas, 137 Pôsteres, 189 Relatos de Experiências, totalizando 454 atividades científicas. 

CFP no Conpe

O CFP participa do Conpe com diversas mesas, mini cursos, simpósios, fóruns e mesas redondas, além de lançar duas publicações da Conselho Federal: O livro “Violência e Preconceitos na Escola: contribuições da Psicologia”; e as “Referências Técnicas para a Atuação de Psicólogas(os) na Educação Básica”.

Mais informações, acesse o site oficial do evento: https://14conpe.abrapee.psc.br/

No dia seguinte, às 16 horas, o CFP estará presente no debate sobre “Violência nas Escolas”.

Serviço

XIV Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional (XIV Conpe 2019)

Data: 28 a 31 de agosto de 2019

Horário: 8h às 21h30

Local: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – Avenida Costa e Silva s/n – Cidade Universitária – CEP 79070-900 – Campo Grande – MS

Eleições 2019: CFP orienta sobre acessibilidade no site

A votação para a Consulta Nacional ao Conselho Federal de Psicologia (CFP) e para as Eleições 2019 dos Conselhos Regionais de Psicologia (CRP) é um processo democrático e também acessível. As psicólogas(os) com deficiência contam com recurso de acessibilidade no site das eleições, podendo usar qualquer software de acessibilidade para leitura de tela. O software gratuito chamado NVDA é indicado por ter sido homologado junto com o site das eleições.

Confira abaixo o passo a passo sobre como baixar e utilizar o NVDA:

Você pode baixar o programa pelo link: https://pt.vessoft.com/software/windows/download/nvda , ou ainda em http://cegosbrasil.net/downloads/download-do-nvda.

Após baixar o NVDA, clique duas vezes sobre o programa e aguarde o carregamento completo.

No momento seguinte, em outra tela, surgirá o Termo de Licença do software. Marque a caixa de seleção “Concordo” e, em seguida, clique no botão “instalar o NVDA neste computador”.

Ao aparecer a próxima tela, desmarque a primeira opção “Usar o NVDA na tela de Logon do Windows” e marque a segunda opção “Criar ícone na área de trabalho”. Em seguida, clique em “Continuar” e aguarde o fim da instalação do programa.

 

Uso do NVDA

Ao concluir, clique em “OK” e aparecerá outra tela, em que será necessário selecionar a opção “Usar CapsLock como uma tecla modificadora”. Em seguida, clique em “OK” novamente. É importante selecionar esta opção para que você consiga selecionar as chapas no momento do voto para as Eleições 2019.

É recomendado que a(o) psicóloga(o) fixe o programa na barra de tarefas, pois isso facilitará sua ativação durante a votação. Para realizar esse procedimento, clique no botão windows em seu teclado, digite NVDA e clique com o botão direito do mouse sobre o programa e selecione a opção “Fixar na barra de tarefas”.

Para ativar o programa, basta clicar duas vezes sobre o ícone, e, após ativo, ele aparecerá no canto inferior direito da tela, também na barra de tarefas.

 

Para a votação

Para o bom funcionamento do NVDA, durante a votação, a(o) psicóloga(o) deve certificar-se que a configuração de teclas Modificadoras está ativada. Para verificar, clique sobre o programa localizado na caixa de ícones ao lado do relógio, selecione a opção “Preferência” e depois “Configurações”.

Em momento posterior, clique na opção “Teclado” e em seguida selecione o checkbox “caps lock”. A seguir, a(o) psicóloga(o) deve ativar o modo de seleção. Para isso, é necessário utilizar as teclas CAPSLOCK+ESPAÇO. Ao dar esse comando, a(o) profissional ouvirá um som distinto que identifica a ativação do modo. Após dar esse comando, o computador estará habilitado a marcar as caixas de seleção (checkbox).

Para navegar com o cursor na tela de votação, você deve utilizar a tecla TAB para avançar o cursor e utilizar o comando SHIFT+TAB para voltar o cursor e, em seguida, para selecionar a chapa desejada, utilize a tecla ESPAÇO e a caixa de seleção será marcada na respectiva chapa.

Baixe o NVDA